OE2022: Segurança Social regista excedente de 2.897,8 milhões de euros até setembro

Agência Lusa , CE
27 out, 22:29
Preços, dinheiro, euro, inflação, economia. Foto: Marijan Murat/picture alliance via Getty Images

Um aumento de 6,1% em termos homólogos

A Segurança Social registou um excedente de 2.897,8 milhões de euros até setembro, que compara com um saldo de 449,2 milhões de euros no período homólogo, segundo a síntese da execução orçamental divulgada esta quinta-feira pela Direção-Geral do Orçamento (DGO).

Em comunicado divulgado sobre os dados da DGO, o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social destaca que a receita efetiva atingiu em setembro 24.859,7 milhões de euros, um aumento de 6,1% em termos homólogos (+1.421,4 milhões de euros).

Para esta variação, detalha o ministério liderado por Ana Mendes Godinho, contribuiu o aumento da receita total de contribuições e quotizações em 1.749,5 milhões de euros (mais 12,1% do que no período homólogo de 2021), a diminuição das transferências correntes da administração central, que ascende a 36,2 milhões de euros ou ainda “a diminuição, no computo total, dos rendimentos e das outras receitas correntes em 96,5 milhões de euros, face ao mesmo período de 2021”.

Já a despesa da Segurança Social caiu em 4,5% (-1.027,2 milhões de euros) até setembro face ao mesmo período do ano passado, para 21.962,0 milhões de euros milhões de euros.

Apesar desta variação negativa, em setembro, o Ministério lembra que o montante pago com diversas prestações sociais registou um incremento, apontando a despesa com pensões e complemento, que aumentou em 430,1 milhões de euros (mais 3,3% do que em setembro de 2021), bem como a despesa com o subsídio e complemento por doença, que subiu 42,4 milhões de euros (+ 7,3% em relação ao período homólogo) ou das prestações de parentalidade, com acréscimo homólogo de 57,5 milhões de euros (+12,1%).

“No que respeita a novas medidas, a despesa com o apoio extraordinário às pessoas mais vulneráveis teve um montante acumulado a setembro que ascende a 121,1 milhões de euros, e a despesa com o novo apoio garantia para a infância, que inclui o mês de setembro e retroativos a julho de 2022, foi de 12,1 milhões de euros”, detalha o mesmo comunicado.

A despesa com as prestações com o subsídio de desemprego, por seu lado, recuou 271,4 milhões de euros registada (-21,7%) face ao valor contabilizado e setembro de 2021.

Por sua vez, as medidas adotadas no âmbito da covid-19 que são da responsabilidade da Segurança Social atingiram 591,4 milhões de euros até setembro, representando uma redução da despesa em 1.128,4 milhões de euros face ao período homólogo.

Dinheiro

Mais Dinheiro

Patrocinados