opinião
Médico Especialista em Ginecologia e Obstetrícia

O impacto psicossocial da infertilidade é uma problemática complexa de saúde pública

9 nov, 11:16

Com 290 mil casais portugueses afetados por problemas de infertilidade, a sensibilização para o tema é claramente importante. 9,7% das mulheres entre os 25 e os 45 anos sofrem de infertilidade.

Em Portugal, apenas 10% dos casos de infertilidade são tratados com recurso a técnicas de procriação medicamente assistida (PMA), como a fertilização in vitro ou injeção intracitoplasmática (seleção do melhor espermatozoide e sua injeção direta no óvulo). Na maior parte dos casos, o problema resolve-se recorrendo a medicamentos e a cirurgias.

Em Portugal, apenas 1% das crianças nascem através de técnicas de procriação assistida, ou seja, cerca de mil por ano, uma proporção muito inferior comparando com outros países.

O impacto psicossocial da infertilidade é uma problemática complexa de saúde pública.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou, em 2020, um documento muito esperado pela comunidade internacional que representa a posição da OMS com respeito à infertilidade e aos cuidados da fertilidade. Este documento enfatiza o conceito de infertilidade como uma doença e, passa a situá-la, no contexto dos direitos humanos aos que têm acesso tanto casais heterossexuais como do mesmo sexo.

O documento reconhece as múltiplas barreiras e a iniquidade no acesso a tratamentos que sejam seguros e eficientes, incluídas as técnicas de reprodução assistida. Finalmente, o documento reafirma a importância de possibilitar leis e políticas públicas que garantam acesso universal a prevenção e tratamento de infertilidade e a necessidade de monitorizar a implementação destas ações.

Têm vindo a ser desenvolvidos alguns esforços, neste âmbito, por alguns especialistas, onde também me incluo. É um trabalho que exige esforço, dedicação e empenho, para gerar informação confiável sobre acesso, segurança e eficiência no uso de técnicas de reprodução assistida, em Portugal, um exemplo de como este tema pode ser abordado de forma a sensibilizar a população.

Causas, sintomas, tratamentos, como o estilo de vida e de alimentação pode ajudar, o que pode ser feito para melhorar a informação/educação sobre a temática, conselhos que favorecem a fertilidade e a saúde, entre outros aspetos, são exemplos de temas para a sensibilização que podem ser encontrados em muitos dos meus conteúdos digitais.

Por exemplo, a gravidez caracteriza-se por uma sequência completa de eventos, incluindo ovulação, captura do óvulo por uma das trompas uterinas, fertilização, transporte do óvulo fertilizado, até ao útero e implantação do óvulo na cavidade uterina recetiva. Em geral, a infertilidade pode ser atribuída à mulher em um terço dos casos, ao homem, em um terço dos casos, e a ambos os parceiros no terço restante.

As estimativas de incidência de várias causas de infertilidade são: fatores masculinos (hipogonadismos, disfunção de tubos seminíferos, defeitos testiculares) - 26%; disfunção ovulatória - 21%; disfunção das trompas de Falópio - 14%; endometriose - 6%; outras - 9%; inespecíficas - 17%.

O tratamento da infertilidade é um processo complexo influenciado por vários fatores etiológicos. As considerações mais importantes incluem tempo de duração da infertilidade, idade do casal (em especial da mulher) e causas diagnosticadas.

Opinião

Mais Opinião

Patrocinados