Tondela-Sporting, 1-3 (crónica)

9 abr, 23:08

O novo «carrossel» de Amorim

Por Mariana Rebelo Silva

O Sporting entrou com tudo em Tondela e regressou a casa com uma vitória por 3-1 que lhe permite manter a pressão sobre o FC Porto e, ao mesmo tempo, manter o Benfica à distância, a poucos dias do dérbi de Alvalade. Ruben Amorim apostou desde logo num ataque móvel com Edwards a entrar na equação em detrimento de Paulinho e o plano acabou por resultar depois de Gonçalo Inácio ter forçado a abertura do marcador.

A cinco minutos do apito inicial, Rúben Amorim pisou o relvado, sozinho, debaixo dos aplausos de milhares de adeptos do Sporting, no dia em que completou o jogo 100 pelos leões.

Um terreno tipicamente difícil para os sportinguistas, que registaram duas derrotas nas últimas quatro épocas, mas a resposta, positiva, a pedido do treinador, voltou a cumprir-se. O Sporting deixou claro que procura continuar na luta pela revalidação do título.

O duelo entre a melhor e a pior defesa do campeonato pendeu, sem surpresa, para o lado leonino, com uma equipa motivada pelos adeptos, em maioria nas bancadas - foi a melhor casa do Tondela esta época, com 4745 adeptos, depois dos bilhetes terem esgotado em três dias.

As duas equipas apresentaram-se com esquemas semelhantes, ambas sem ponta-de-lança fixo de início. Os primeiros minutos de jogo foram de procura de espaços no terreno de jogo, com o Sporting a assumir totalmente as rédeas de jogo, diante de um Tondela, com um bloco baixo, totalmente fechado.

O primeiro sinal de perigo surgiu dos pés de Pedro Gonçalves que cruzou da esquerda e obrigou Pedro Trigueira a afastar a soco. Um minuto depois, foi Porro a cruzar, agora da direita, para um remate frouxo de Sarabia que o guardião do Tondela voltou a defender. A pressão do Sporting era asfixiante diante de um adversário que, a defender, fechava-se em 4x5x1.

As oportunidades sucederam-se a um ritmo vertiginoso até que, à passagem da meia-hora, Gonçalo Inácio inaugurou o marcador com um remate, com o pé esquerdo, do meio da rua depois de Undabarrena ter aliviado um cruzamento de Porro.

Um golo que libertou os leões para um controlo ainda mais acentuado, com o Tondela sem conseguir dar resposta. Cinco minutos depois, chegou o segundo golo, numa belíssima combinação de Pablo Sarabia com Pedro Gonçalves, com o espanhol a desmarcar-se e a fazer o 2-0.

Os comandados de Nuno Campos pareciam, nesta altura, completamente perdidos no jogo e os leões «plantaram-se» no meio-campo tondelense. Coates teve o 3-0 nos pés depois de Trigueira ter saído de entre os postes, mas rematou por cima da trave. Ainda antes do intervalo, o Sporting teve mais uma oportunidade de cimentar a vantagem depois de uma perda de bola de Manu Hernando, mas Pote permitiu a defesa de Trigueira.

Penálti quebra reação

Já na segunda parte, o Tondela mostrou-se mais solto, com Rafael Barbosa a destacar-se no ataque, obrigando Adán à primeira intervenção do jogo aos 61 minutos. No entanto, logo a seguir, Luís Godinho assinalou grande penalidade por mão de João Pedro na área. Na conversão da grande penalidade, Trigueira ainda tocou na bola, mas não conseguiu evitar o «bis» de Sarabia bisou no encontro.

O Tondela ainda reduziu a diferença por intermédio de Manu Hernando na sequência de um pontapé de canto da esquerda: Tiago Dantas cruzou e o espanhol, de costas para a baliza, cabeceou para o segundo poste.

A verdade é que os leões voltaram a assumir o controlo do jogo e, já em tempo de compensação, ainda houve tempo para a estreia de Rodrigo Ribeiro, de 16 anos, na Liga.

O Sporting conquistou, assim, a quinta vitória consecutiva na Liga – o melhor registo desde dezembro – e reduziu, assim, à condição, a distância para o líder FC Porto, de seis para três pontos. Já o Tondela mantém-se no lugar de play-off de despromoção à II Liga.

 

Relacionados

Sporting

Mais Sporting

Patrocinados