Moreno: «As dores de cabeça são por sentir que temos de melhorar»

Ricardo Jorge Castro , Municipal Engº Manuel Branco Teixeira, Chaves
13 jan, 22:27
Desp. Chaves-Sporting (LUSA/PEDRO SARMENTO COSTA)

Desp. Chaves-Sporting, 0-3 (reportagem) | Treinador dos flavienses puxa para si a responsabilidade e frisa que é preciso «trabalho» para melhorar e sair do último lugar

Declarações do treinador do Desportivo de Chaves, Moreno, na sala de imprensa do Municipal Eng.º Manuel Branco Teixeira, após a derrota ante o Sporting, por 3-0, em jogo da 17.ª jornada da I Liga:

«Vitória justa do Sporting. Tivemos, nos primeiros 15 minutos, algumas saídas, mas nunca o critério necessário para finalizar. Depois, fomos nós, durante a primeira parte, com erros técnicos, a oferecer oportunidades claras ao Sporting. Lembro-me do atraso do João Correia, a bola prendeu. Também um mau alívio do Sandro. Oportunidades que, com mérito também do Hugo Souza, deixaram-nos vivos no jogo, ainda na primeira parte.»

«A minha desilusão, a par de não termos a qualidade com bola que eu queria, na primeira parte, é o golo sofrido, no momento que sofremos. Mais ainda por ter sido de bola parada, porque na bola parada não há uma diferença assim tão grande na qualidade técnica entre as equipas. Aí, teríamos de ser mais agressivos, mais competentes e penso que esse é o momento que marca o jogo, porque ir para o intervalo empatado ou em desvantagem é diferente. Ao intervalo, tentei passar um pouco de tranquilidade à equipa, a dizer que estávamos dentro do jogo, mas não foi isso que aconteceu. Na segunda parte, ao fim de dez minutos, aí sim por qualidade técnica do Sporting, que marcou dois golos, retirou-nos do jogo. A equipa teve uma reação, mas já era difícil. Temos de melhorar em muitas coisas. Além desses erros técnicos, ter mais qualidade com bola, sermos mais agressivos sem bola. É a reflexão que temos de fazer para sairmos desta situação desconfortável e ter uma segunda volta melhor do que a primeira.»

[Estreia de Vasco Fernandes e o que queria com o posicionamento ligeiramente à frente de Steven Vitória e Bruno Rodrigues:] «Não mudar o que tínhamos feito nos dois últimos jogos, em que tínhamos estado competitivos. Tanto no Dragão, como em Famalicão, jogámos com uma linha de quatro. Não quisemos mudar a estrutura em função da chegada do Vasco. Foi isso. O Vasco fez bem o que lhe pedimos, numa primeira fase a jogar como seis, médio de equilíbrio e depois a baixar para a linha de quatro. No futuro vamos ver se e é para estar com linha de quatro ou voltar à linha de cinco, ver o que é melhor para nós. Mas, mais do que isso, melhorar em erros que a este nível – e o responsável sou eu – pagam-se caros, mais ainda com equipas com a qualidade e competência do Sporting.»

«As dores de cabeça são por sentir que há muito trabalho e temos de melhorar muito. Tivemos mais bola quando estávamos a perder 3-0, aí o Sporting também já não acelerou e pressionou tanto. Temos de ser mais competentes ao longo do jogo todo. Repito: o responsável sou eu e há muito a melhorar.»

Relacionados

Sporting

Mais Sporting

Patrocinados