Moreno: «Não escondo, vai ser um ano difícil para o Desp. Chaves»

André Cruz , Estádio do Dragão, Porto
30 dez 2023, 00:10
Luis Morgado, treinador-adjunto Desp. Chaves (LUSA)

Treinador dos flavienses considera que a equipa poderia ter «levado mais» do Dragão

Moreno, treinador do Desportivo de Chaves, em declarações aos jornalistas no Estádio do Dragão, após a derrota por 1-0 com o FC Porto, na 15.ª jornada da Liga:

«[Bola no ferro nos últimos minutos foi determinante para o desfecho do jogo?] Depois disso ainda tivemos outra oportunidade pelo Jô, a estratégia era um pouco isto, estarmos vivos ao longo dos 90 minutos, sabíamos que íamos ter oportunidades. Fazendo um resumo do jogo, sem bola, estivemos organizados, a fazer o que trabalhámos, mas reconheço que com bola teríamos de fazer mais. Os espaços estavam identificados e faltou discernimento para definir o último passe e poderíamos sair daqui com mais oportunidades. FC Porto com mais bola, acontece a nós e a qualquer equipa que vem jogar no Dragão. Estivemos bem a nível defensivo, com bola esperava mais.

É uma derrota, as vitórias morais não dão nada às equipas. Se prefiro perder desta forma ou como no Estoril ou em Guimarães? Sim, mas ficamos com a sensação de que poderíamos ter levado mais. Criámos duas boas oportunidades para poder empatar. O último lance do jogo é muito duvidoso, já vi a imagem e parece-me penálti. Se era o resultado mais justo? Pelo que o FC Porto fez, pelas oportunidades, pelo volume de jogo ofensivo, provavelmente não, mas o que aconteceu nos últimos 10 minutos era estratégia nossa. Agora é descansar e preparar o jogo com o Famalicão. Vivemos de pontos e temos de pontuar. Nada a apontar ao grupo, à organização, mas com bola podíamos ter feito mais.»

«[Sandro Cruz como defesa-central. Titularidade de Toni Martinez surpreendeu-o?] Não imaginava que o Toni Martinez fosse jogar, preparamos jogo com Evanilson, Galeno e Taremi, mas não foi essa a equipa [do FC Porto]. A entrada do Sandro não teve a ver com o Toni Martínez. A opção pelo Sandro é opção técnica, dá-nos segurança como central, já o fez com linha de três e achámos que para este jogo iria ter este rendimento. É um atleta que não conhecia antes de vir para Chaves e tem-me surpreendido muito pela positiva, faz bem a posição de lateral-esquerdo e de central e é com estes atletas que temos de ir à luta.»

«[Benny e Jô entraram antes do golo do FC Porto] Não havia plano, as substituições foram feitas conforme o que o jogo estava a pedir. A equipa com estava pouca agressividade ofensiva, a segurar pouco a bola e era importante ter dois homens frescos, o Jô a segurar a bola e o Benny mais vertical com chegada à área. Criámos duas grandes oportunidades com eles.»

«[Como antevê 2024?] Dificuldade. Não escondo. Sou o mais sério possível com os sócios do Desp. Chaves, vai ser um ano difícil, vamos perder o Langa, o João Correia e o Guima para a CAN, temos atletas de fora por lesão, estamos numa situação desconfortável. Não vai ser por falta de trabalho e entrega, mas será um ano difícil.»

Relacionados

Patrocinados