Pelo menos 78 ativistas de direitos humanos assassinados na Colômbia em 2021

Agência Lusa , AM
13 jan, 06:16
Protestos contra violência policial na Colômbia fizeram dez mortos
Protestos contra violência policial na Colômbia fizeram dez mortos

Balanço, que não representa o número total de homicídios na Colômbia, foi feito pelo Gabinete das Nações Unidas para os Direitos Humanos no país

PUB

Pelo menos 78 defensores dos direitos humanos foram mortos na Colômbia em 2021, a maioria no departamento de Valle del Cauca, informou o Gabinete das Nações Unidas para os Direitos Humanos no país.

"De 01 de janeiro a 31 de dezembro de 2021, o Gabinete dos Direitos Humanos da ONU recebeu 202 alegações de assassínios de defensores dos direitos humanos. Destes, 78 casos foram verificados, 39 casos estão em vias de ser verificados e 85 casos são inconclusivos", disse na quarta-feira o organismo internacional num relatório publicado na sua página na Internet.

PUB

A organização esclareceu que o número não representa o número total de homicídios na Colômbia, mas apenas os casos que recebeu e verificou.

O Gabinete dos Direitos Humanos da ONU indicou que, do número total de pessoas mortas, oito eram mulheres e cinco delas indígenas. Dos 70 homens, seis pertenciam a comunidades afro e seis a indígenas.

O maior número de mortes de ativistas ocorreu em Valle del Cauca, onde 31 foram mortos, cinco dos quais em Cali, a capital do departamento, que foi o epicentro dos protestos em meados do ano passado contra as políticas sociais e económicas do Governo.

PUB
PUB
PUB

O Governo colombiano afirma que grupos armados dedicados ao tráfico de droga e os dissidentes de guerrilhas são os que mais assassinam defensores dos direitos humanos.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Mundo

Mais Mundo

Patrocinados