Portugal não tem um plano de prevenção das doenças sexualmente transmissíveis

13 mar, 06:39
Em 2020, um estudo do Instituto de Saúde Pública da U.Porto (ISPUP), publicado na revista Sexually Transmitted Diseases, concluiu que a clamídia, a gonorreia e a sífilis são as doenças sexualmente transmissíveis mais comuns entre homens jovens e heterossexuais. (Pexels)

REVISTA DE IMPRENSA || Centro Europeu de Controlo e Prevenção de Doenças pediu aos países que avancem com medidas urgentes

Portugal não tem um plano de prevenção das doenças sexualmente transmissíveis, avança o jornal Público. A notícia surge numa altura em que tem havido um aumento muito significativo de casos de doenças como a gonorreia, a sífilis e a clamídia devido sobretudo a uma diminuição na capacidade de rastreio.

Por esse motivo, o Centro Europeu de Controlo e Prevenção de Doenças pediu aos países que avancem com medidas urgentes para travar esse fenómeno.

Em 2019, a Direção-Geral da Saúde, na altura ainda liderada por Graça Freitas, criou uma equipa com o objetivo de desenvolver um plano estratégico contra estas doenças, mas a pandemia levou à interrupção dos trabalhos.

A atual diretora-geral da Saúde não esclarece se a comissão vai voltar ao ativo em breve, mas sublinha que nos últimos tempos têm sido feitos mais testes de diagnóstico e que tem havido uma maior promoção do uso de preservativos.

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados