Mulher de 65 anos constituída arguida por lucrar com serviços de prostituição

Agência Lusa
4 mai, 19:30
GNR

A sexagenária fornecia a sua casa para "facilitar a prostituição, com intenção lucrativa"

A GNR de Bragança constituiu como arguida uma mulher de 65 anos por alegado crime de lenocínio, em Macedo de Cavaleiros, foi esta quarta-feira divulgado.

“No âmbito de uma investigação que decorria há cerca de seis meses, foi realizada uma busca domiciliária num apartamento, pelo facto de a proprietária dessa habitação fomentar, favorecer e ali facilitar a prostituição, com intenção lucrativa”, concretiza a GNR, em comunicado.

De acordo com a força de segurança, “em resultado das diligências policiais desenvolvidas foi possível apreender 3.105 euros em numerário, bem como outros elementos de prova relacionados com o crime de lenocínio”.

“A responsável pela residência foi constituída arguida, tendo ainda sido notificadas duas mulheres para abandonarem o território nacional, uma vez que se encontravam em situação irregular”, frisou a GNR na mesma nota.

Os factos foram comunicados ao Tribunal Judicial de Macedo de Cavaleiros.

A ação contou com o reforço do Posto Territorial de Macedo de Cavaleiros e da Secção Cinotécnica de Bragança.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados