"Putin sabe que a morte de Navalny nesta altura vai mobilizar o ocidente, mas, por outro lado, é o próprio sistema que deixa morrer as pessoas"

Com carreira militar iniciada em 1983 na Escola Prática de Cavalaria, o tenente-general Marco Serronha é vice-presidente da Cruz Vermelha Portuguesa, tendo especialização militar no continente africano.
16 fev, 18:32

Analisando a morte de Alexei Navalny, o tenente-general Marco Serronha considera que "isto é a resposta típica da Rússia", demonstrando "o estado russo não ser um estado humanitário do ponto de vista do tratamento das pessoas, nomeadamente os prisioneiros." Na opinião deste analista, "Putin sabe que a morte de Navalny nesta altura vai mobilizar o ocidente, mas, por outro lado, é o próprio sistema que deixa morrer as pessoas, é a incapacidade do estado russo de se democratizar".

Comentadores

Mais Comentadores

Mais Vistos

Patrocinados