“Inconscientemente, a Irina arranjou uma estratégia para passar os dias focada na vida e não na morte”

23 jul, 14:01

Diogo Assunção, autor da série de reportagens 'Amor Cura', acredita que a filosofia de vida de Irina Fernandes, que faleceu aos 38 anos, vai além da doença, foca-se na forma como “vivia e permitiu que a sua família e amigos fossem vivendo”.

“Inconcientemente, a Irina arranjou uma estratégia para passar os dias focada na vida e não na morte. Ela sabia que tinha cancro, mas não trouxe a morte para a sua vida, nem para a vida dos que amava”, disse o jornalista

‘O amor cura’ era a frase que Irina mais dizia, tendo mesmo chegado a tatuar no seu próprio corpo as duas palavras que acabaram por se assumir como a sua filosofia de vida após o diagnóstico. “Isto do amor cura vai para lá da doença, da morte e do cancro. Foca-se muito no que conseguiu fazer com as pessoas que ama e com as pessoas que inspirou”.

País

Mais País

Patrocinados