Cessar-fogo pedido por Patriarca Kirill foi uma "espécie de trégua de Natal", mas tornou a guerra "mais legítima aos olhos dos russos"

7 jan, 16:25

O "cessar-fogo" de 36 horas prometido para o período de Natal ortodoxo foi marcado por bombardeamentos e por acusações mútuas da Rússia e da Ucrânia.

Diana Soller, comentadora da CNN Portugal, considera que, apesar de a trégua não ter sido totalmente cumprida, a redução de ataques a alvos civis e infraestruturas demonstra que o pedido do Patriarca Kirill foi, de certo modo, cumprido. 

A comentadora defende ainda que o pedido do chefe da Igreja Ortodoxa da Rússia funcionou como uma espécie de "bênção" à guerra e "uma forma de ganhar aceitação" junto da população russa - o que poderá ser vantajoso numa futura mobilização, que pode estar iminente. 

 

Europa

Mais Europa

Mais Vistos

Patrocinados