Carlos César insiste na taxação dos “lucros fabulosos”. Medina responde que “lucros não esperados" já estão a ser utilizados

8 set, 14:43

Fernando Medina rejeita a necessidade de criar um imposto que taxe os lucros extraordinários das empresas, porque o Governo já está a usar os lucros inesperados para ajudar as famílias em Portugal.  

Perante a insistência de Carlos César, que fala da necessidade de convocar as empresas que mais beneficiam com o aumento da inflação, o ministro das Finanças afirma que é preciso agir com eficácia e inteligência. 

Partidos

Mais Partidos

Patrocinados