Bairros precários aumentam em Portugal

1 dez 2021, 15:45

Gabriela Neto levanta-se às 5:00 da manhã. Caminha pelas ruas pouco iluminadas do bairro precário Quinta das Lagoas, no Seixal, para apanhar três transportes até chegar ao trabalho. Pedro Rita, seu primo, vive numa casa de tijolo e chapa que está a cair.

Óscar Rosa mudou-se para aqui no último ano, depois de ficar sem trabalho. Josias Pedro, cresceu aqui e contou cerca de 20 casas novas desde o início da pandemia.

Alcides Ferreira foi realojado para um apartamento no bairro social da Cucena depois de um acidente. Mas a mudança não correspondeu às expectativas. Um tecto cheio de humidade e mosquitos obriga-o a ir à casa de banho de cadeira de rodas. Segundo o arquiteto Tiago Mota Saraiva, uma casa nova não é a solução final para este problema social.

Desde o início da pandemia há mais 400 mil pessoas a viver abaixo do limiar da pobreza em Portugal. Nos últimos três anos surgiram mais 11 mil casas ilegais. São agora 24 mil famílias a viver em barracas ou casas precárias. Este é um retrato de um Portugal pouco visível.

Uma reportagem de Helena Lins.

País

Mais País

Patrocinados