Ana Jorge: apesar da mobilização portuguesa, apoios vão ser necessários “ao longo do tempo” na Ucrânia

8 mai, 22:24

No Dia Internacional da Cruz Vermelha, a presidente da organização em Portugal, Ana Jorge, lembrou a “missão de poder estar em terreno de conflito” e a capacidade de negociação no sentido de garantir uma retirada “tranquila, independente e neutra” de civis, como aquela que aconteceu esta semana em Mariupol. Ana Jorge afirmou que “ainda se mantém esta vontade de ajudar” por parte dos portugueses, mas alerta de que as necessidades de apoio se vão arrastar ao longo do tempo, mesmo depois de terminado o conflito.

Europa

Mais Europa

Patrocinados