“A vacina contra a covid-19 é simultaneamente a história mais otimista e a mais deprimente”

14 jan, 17:13

A vacina é simultaneamente a história mais otimista e a mais deprimente”, afirma Adam Tooze em entrevista à CNN Portugal. É a mais otimista porque os cientistas nunca tinha feito nada assim, mas “acabámos não com uma mas com vários conjuntos de vacinas, todas elas bastante eficazes e nenhuma se revelou perigosa”, considera o historiador e autor de livros como “Shutdown”, que se tornou um best-seller internacional.

“Conseguimos a ‘arma milagrosa’ que procurávamos” e depois “temos o falhanço catastrófico, lamentável e, em certos aspetos, sim, previsível”, acrescenta Tooze, referindo-se à distribuição desigual das vacinas entre países ricos e países pobres. “E o mais extraordinário é que é um falhanço político, um falhanço moral, um falhanço ético, mas é também pragmaticamente um falhanço.”

“Não é um cliché do humanitarismo dizer que ninguém está a salvo enquanto todos não estiverem a salvo. É literalmente assim que os vírus atuam, e não estamos à altura. E acho espantoso que estejamos basicamente a apostar na sorte outra vez, como estávamos antes da crise, mesmo enquanto se desenrola.”

Veja o excerto em vídeo. A entrevista será publicada na íntegra este sábado no site da CNN Portugal.

Europa

Mais Europa

Patrocinados