Viúva de Navalny acusa Putin de reter corpo para assegurar enterro secreto: "Torturaram-no quando ele estava vivo e agora torturam-no depois de morto"

Agência Lusa , MM
24 fev, 11:11
Yulia Navalnaya (Associated Press)

Yulia Navalnaya acusa regime russo de "humilhar" a mãe de Alexei Navalny para a obrigar a aceitar um enterro secreto

Yulia Navalnaya, que prometeu continuar a luta pelo seu marido Alexei Navalny, morto numa prisão russa, acusou Vladimir Putin de reter o corpo para obrigar a sua mãe a aceitar um enterro secreto.

"Nove dias desde que Putin matou o meu marido (...), mas acontece que matar não foi suficiente, agora ele tomou os seus restos mortais como reféns, humilhando a sua mãe para a forçar a aceitar um enterro em segredo", disse a viúva do principal opositor de Putin, com voz trémula, num vídeo online.

"É Putin (...) quem dá as ordens: 'Não o devolvam, pressionem a mãe, quebrem-na, digam-lhe que o corpo do filho está a decompor-se'", continuou.

Há mais de uma semana que Liudmila Navalnaya, a mãe do líder da oposição morto, tenta recuperar os restos mortais do seu filho, que morreu em 16 de fevereiro numa prisão numa região remota do Ártico onde Navalny estava detido.

Segundo a mãe de Navalny, as autoridades impuseram a condição de que o enterro fosse secreto. Segundo observadores, o Kremlin receia que o funeral se torne um acontecimento público, especialmente porque a Rússia deverá realizar eleições presidenciais em meados de março, nas quais se espera que Vladimir Putin volte a triunfar.

"Torturaram-no quando ele estava vivo e agora torturam-no depois de morto", disse Liudmila Navalnaya.

O Presidente russo não reagiu à morte do seu principal crítico, que cumpria uma pena de prisão de 19 anos e tinha sobrevivido a um envenenamento.

Desde a invasão da Ucrânia, há dois anos, o Kremlin aumentou a repressão contra todos os seus críticos.

Patrocinados