Em atualização

AO MINUTO | Montenegro diz que Chega é "grau zero da política". Ventura vê PSD preocupado em "dar lugar" ao PS

Presidentes de PSD e Chega prometem debate animado
2024-02-12
Pulsómetro - saiba mais
2024-02-12
22:05

Terminou agora o debate entre Luís Montenegro e André Ventura, que acabou por se prolongar por mais de 36 minutos, tendo sido marcado por várias interrupções dos dois lados.

2024-02-12
21:52

André Ventura diz que Montenegro e Pedro Nuno Santos são "o rosto de um sistema que temos de combater"

André Ventura acaba o debate ao ataque, sublinhando que, apesar de Pedro Nuno Santos ser o seu principal adversário, Luís Montenegro também é parte de um sistema que ele quer combater.

"O meu principal adversário é o PS, mas o adversário do sistema são os dois partidos que há 50 anos representam o mesmo sistema que nos tem inundado de corrupção, de tachos, bandidos à solta e descida de salários", atira Ventura.

"Se querem tudo igual, votem Luís Montenegro, se querem mudar votem Chega", apela o líder do Chega.

2024-02-12
21:48

Quem é o principal adversário da AD? "É o partido socialista", afirma Montenegro

Luís Montenegro responde e volta a defender que o maior adversário do PSD nestas eleições é o Partido Socialista.

"O grande adversário e único que tenho nestas eleições é o PS que é alternativa de governo que se coloca diante dos portugueses para os próximos anos. O PSD é o adversário do Chega", explica Montenegro.

2024-02-12
21:45

Ventura acusa Montenegro de ter feito "maior corte de pensões da história"

O líder do Chega diz que defendeu a subida sustentada das pensões, ao contrário do PSD, que "realizou o maior corte de pensões da nossa história". 

“Não me preciso de reconciliar com os idosos, ao contrário do PSD que cortou pensões”, atira Ventura, que refere que "o Luís Montenegro foi o líder parlamentar que realizou o maior corte de pensões da nossa história".

2024-02-12
21:42

"Realismo" é o que separa as propostas da AD e do Chega para os pensionistas, afirma Montenegro

Fala-se agora de pensões, com Luís Montenegro a destacar o "realismo" e a "exequibilidade" das propostas do PSD, que querem fazer o CSI a 820 euros, enquanto a proposta do Chega pode ter um custo para o estado que chega a nove mil milhões de euros.

"O que o André Ventura defende é que tenha um acréscimo. Pode ser alguém que tenha rendimentos de dois mil euros e ele aumenta a pensão de 300 para 800 euros na mesma", explica.

2024-02-12
21:34

Ventura quer acelerar "os mecanismos de apreensão e confisco de bens" para combater a corrupção

O Chega diz que quer recuperar os 20 mil milhões perdidos por ano em corrupção. Questionado sobre como recuperar esse dinheiro, André Ventura diz que vai buscar esse valor acelerando os mecanismos de confisco e apreensão dos bens obtidos com a corrupção. 

"O país já desconfiava que a AD não tinha nenhuma proposta para combater a corrupção. As que tinha, aliás, foram copiadas do Chega", afirma Ventura, acrescentando que "quer ir mais longe" e "apreender e confiscar bens dos corruptos".

2024-02-12
21:31

"Eu sei mais sobre as contas das suas medidas do que você", atira Montenegro

Luís Montenegro volta a atacar as contas do Chega, sublinhando que sabe mais sobre a contas do Chega do que o próprio Ventura. "Eu sei mais sobre as contas das suas medidas do que você", afirma Luís Montenegro.

Sobre o combate à corrupção, PSD propõe tirar burocracias ter um mecanismo de administração mais transparente, regulamentar o lobby e criminalizar o enriquecimento ilícito.

2024-02-12
21:26

Chega acusa PSD e PS de "espezinhar os agentes de segurança"

Sobre o tema das forças de segurança, o líder do Chega defende o direito à greve, justificando que tal pode ser feito se acontecer com regras, tal como acontece com os médicos e acusa o PSD de "espezinhar" os agentes de segurança.

"Os seus governos e os governos do PSD espezinharam estes homens. Vocês falharam às forças de segurança (...) não têm direito à greve, não têm direito de filiação e ainda não lhes damos o suplemento que é mais do que justo", atira. 

2024-02-12
21:20

Luís Montenegro acusa Chega de instrumentalizar as forças de segurança

O líder dos sociais-democratas considera que é "indiscutível que há uma instrumentalização" da insatisfação dos agentes e militares das forças de segurança e acusa o Chega de querer colocar "os partidos políticos dentro das esquadras e dos quartéis da GNR".

"É indiscutível que há uma instrumentalização das forças de segurança no discurso do Chega e no deputado do André Ventura. André Ventura abre a possibilidade dos agentes terem filiação partidária e terem direito à greve. Quer colocar os partidos políticos dentro das esquadras e dos quartéis da GNR", atirou Montenegro.

2024-02-12
21:15

"PSD prepara-se para entregar o país ao Partido Socialista", acusa Ventura

André Ventura insiste que "tudo fará para tirar o PS do poder" e acusa os sociais democratas de estarem a "preparar-se" para entrar o país ao partido socialista.

2024-02-12
21:12

Montenegro está "lutar para ter maioria absoluta" e não antevê cenários de derrota

O líder dos sociais-democratas reafirma que só vai governar se ganhar as eleições e recusa responder à questão sobre se viabilizará o governo socialista.  

"Nós estamos a lutar para ter a maioria absoluta. Estou a lutar por crescer cada vez mais e restabelecer a confiança dos portugueses", insiste.

2024-02-12
21:02

Montenegro "vai saltar para o colo do PS", responde André Ventura

André Ventura acusa Luís Montenegro de ser incapaz de tomar decisões e de "saltar para o colo" do Partido Socialista caso os socialistas vençam as eleições. 

"O PSD não quer vencer nem modernizar. Está só preocupado numa coisa: em continuar a dar lugar ao PS e distribuir tachos a todos os amigos do PS e PSD", atira o líder do Chega.

André Ventura reafirma que o PSD "é uma prostituta política" ao coligar-se "aos extremistas do PAN" na Madeira para manter o poder. "Você é o idiota útil da esquerda", acusa.

2024-02-12
21:00

Montenegro diz que Chega é "grau zero da política" e que “nunca alinhará com alguém que tem opiniões populistas, xenófobas e demagógicas”

Começa o frente a frente entre Luís Montenegro e André Ventura. Questionado sobre se deixaria o PS governar sem maioria, o líder dos sociais-democratas não responde diretamente e sai ao ataque contra o Chega, que diz ser "o grau zero da política". 

"Não governo se não ganhar as eleições e não há entendimento com o Chega", afirma e ataca o Chega com “com um programa eleitoral sem contas, mas no PSD fizemos as contas e são 25 mil milhões de euros”.

2024-02-12
19:49

Um café com: Luís Montenegro recandidata-se a líder do PSD se perder as eleições legislativas (e vai pedir na campanha "uma maioria que o deixe governar"; sobre a Madeira: ficou em silêncio "por lealdade")

Luís Montenegro garante que nem a derrota nas eleições legislativas de 10 de março o vai afastar da liderança do PSD, assumindo mesmo que se recandidata novamente à liderança do partido.

Depois de dizer que não governará com o Chega, Luís Montenegro assegura que “não é comigo” que André Ventura irá governar. “Isto é um assunto muito sério, não é para estar aqui com brincadeiras. O PSD tem uma liderança, a liderança é assumida por mim e a nossa liderança já balizou as condições com que vamos exercer a governação, o doutor André Ventura depois tomará as decisões que entender”, vinca.

Sobre a sua continuidade no PSD caso não consiga vencer as eleições legislativas, Luís Montenegro rejeita sair. “Eu tenho um mandato que vou cumprir. O PSD é muito maior do que eu, eu não tenho nenhuma tentação de me fazer maior que o PSD”, mas rejeita sair mesmo em cenário de derrota legislativa.

Quanto à dificuldade em conseguir uma maioria de direita sem o Chega, Montenegro diz que  “o PSD vai lutar para conseguir essa maioria sozinho, no âmbito da Aliança Democrática”. Luís Montenegro diz ainda que pedirá “uma maioria que nos deixe governar”, deixando o aviso que um “voto no Chega ajuda a manter um governo do PS”.

Numa altura em que a crise política na Madeira domina o espaço político, Luís Montenegro quebrou finalmente o silêncio, mas apenas em parte, sem se adiantar muitos nos comentários. O líder social-democrata defende que Miguel Albuquerque fez bem em demitir-se, tendo tomado a “decisão correta” num “momento inesperado”. “Quem decidiu demitir-se foi o próprio”, diz, descartando qualquer pressão do PSD nacional nesta matéria e dizendo mesmo que não está para “tutelar o PSD Madeira”.

Sobre o seu silêncio sobre a crise política na Madeira, Luís Montenegro diz que foi por uma questão de “lealdade”. “Nunca falei dessa possibilidade [da demissão de Miguel Albuquerque] sem que fosse veiculada por quem devia de ser, que era pelo próprio Miguel Albuquerque, por uma razão de lealdade, para com a pessoa e para com a autonomia regional”, vinca, deixando claro que o objetivo não é “tutelar o PSD Madeira”.

No entanto, o líder social-democrata critica Ireneu Barreto, representante da República, mas diz-se preparado para ir a eleições no arquipélago. “O PSD Madeira está preparado para ir a votos”, assegura.

Outro ponto: vai aos Açores para a noite eleitoral, "sou de dar o corpo às balas".

2024-02-12
19:49

Montenegro quer "virar a página" como Costa em 2015 - e é assim que quer lá chegar

Foram 11 os objetivos definidos pelo presidente do PSD, que se mostra confiante em começar a trabalhar para mudar o país a 10 de março
Leia mais aqui
2024-02-12
19:49

Eleições: Chega quer aumentar salário mínimo para mil euros até 2026 e Estado a ajudar empresas

Esta foi já a segunda vez que o partido convocou os jornalistas para anunciar medidas para as eleições de 10 de março
Leia mais aqui
2024-02-12
19:48

Tem talentos culinários, arrepende-se "do que fez algures em janeiro de 2019" e quer agradecer à senhora do café que lhe arranjou as calças: 120 segundos para conhecer Luís Montenegro

A TVI/CNN Portugal traz-lhe 120 segundos de factos e curiosidades sobre os candidatos de todos os partidos. Às vezes é quanto basta para os ficarmos a conhecer melhor. Desta vez é Luís Montenegro, presidente do Partido Social Democrata

2024-02-12
19:48

Chora com facilidade, entra com o pé direito nos aviões e espera celebrar o 25 de Abril “como primeiro-ministro”: 120 segundos para conhecer André Ventura

A TVI/CNN Portugal traz-lhe 120 segundos de factos e curiosidades sobre os candidatos de todos os partidos. Às vezes é quanto basta para os ficarmos a conhecer melhor. Desta vez é André Ventura, presidente do Chega

2024-02-12
19:48

Um café com... André Ventura: "Se a direita tiver maioria nas eleições, haverá um governo de direita. Com ou sem Luís Montenegro. Tenho essa garantia, não posso revelar de quem"

Em entrevista exclusiva à CNN Portugal, o líder do Chega diz que tem "a garantia total de que haverá um governo de direita se houver uma maioria de direita". Questionado por Anselmo Crespo sobre o que acontecerá se Luís Montenegro não aceitar isto - que pressupõe um entendimento com o Chega, algo que Montenegro já disse que não quer -, André Ventura responde que, sendo assim, "haverá outro" no PSD no lugar de Luís Montenegro. Anselmo Crespo perguntou se "outro" é Passos Coelho. Ventura respondeu a isso e mencionou ainda "as forças vivas do PSD"

2024-02-07
01:32

"O idiota útil da esquerda" e o "grau zero da política". O frente a frente de Luís Montenegro e André Ventura

Muitas interrupções, trocas de acusações, mas poucas respostas. Montenegro afasta entendimento com Chega e Ventura diz que "os dois partidos que há 50 anos representam o mesmo sistema" são o seu principal adversário
Leia mais aqui