Em atualização

Ao minuto: Santana fez as pazes com Rio, Assis fez o mesmo com Costa - há empate técnico até nas reconciliações

Siga aqui os principais momentos da campanha para as eleições Legislativas de 30 de janeiro. A CNN Portugal tem uma vasta equipa de reportagem na rua, de Norte a Sul do país, que lhe trazem, ao minuto, todas as informações dos candidatos
2022-01-28
2022-01-28
23:05

Costa volta a colar PSD ao Chega: “Não sejamos ingénuos. Como não há almoços grátis, não há viabilizações grátis”. E chega ao fim a campanha socialista

António Costa volta a vincar as linhas vermelhas para com a extrema-direita. “O perigo não é uma nova ditadura. O perigo não é o Chega ganhar as eleições”, começou. O verdadeiro problema, considerou, está na capacidade de “condicionar” e “influenciar” a atividade dos outros partidos democráticos, numa nova colagem ao PSD. E concluiu: “Não sejamos ingénuos. Como não há almoços grátis, não há viabilizações grátis”

O secretário-geral do PS acaba o último discurso de campanha a lembrar a segurança do voto. “Porque cada voto que seja desperdiçado, é um voto que não dá força para continuarmos a avançar. E o caminho é para a frente, para a frente, para a frente, para a frente Portugal”.

2022-01-28
22:55

“Com a consciência tranquila”, Costa está pronto para "pôr termo a esta irresponsável crise política" e começar a trabalhar já na segunda

António Costa fecha campanha no Porto (Lusa/Miguel A. Lopes)

António Costa diz chegar ao último momento da campanha “com a consciência tranquila” e pronto para continuar o trabalho como primeiro-ministro. “Saio desta campanha eleitoral revigorado, com energia, para na próxima segunda-feira recomeçar de novo o trabalho que quiseram interromper”, afirmou no Pavilhão Rosa Mota, no Porto.

O secretário-geral do PS voltou a fazer um novo apelo ao voto, para que domingo seja o dia de “pôr termo a esta irresponsável crise política que foi aberta”. “Como temos estado a vencer esta pandemia, no domingo também vamos vencer esta crise política”, reforçou.

E novo recado aos antigos parceiros, Bloco de Esquerda e PCP: “Há um momento em que é preciso dizer não, quando querem dar um passo maior do que a perna”.

Para Costa, é altura de “arregaçar as mangas, pôr mãos á obra, e aproveitar até ao ultimo cêntimo os recursos que a Europa nos disponibilizou”, rumo à recuperação pós-pandemia.

2022-01-28
22:51

"Gerigonça à direita" do PSD inclui ou não o Chega? O debate entre Vieira da Silva e Mota Pinto

Rui Rio não exclui uma "geringonça à direita" no caso do PS vencer as eleições, mas se houver uma maioria de deputados de direita no parlamento.

Mariana Vieira da Silva aponta “total incoerência” nas declarações de Rui Rio e frisa que, “ao menos” o PSD deixou claro antes do dia de reflexão que conta com o Chega “não apenas no caso de ganharem, mas mesmo no caso de perderem”. “É isso que significa a Direita toda junta”.

Paulo Mota Pinto vê as declarações de Rio de uma forma diferente. 

2022-01-28
22:50

Rodrigues dos Santos diz que procurar “o CDS fora do CDS” é “comprar gato por lebre”

O presidente centrista alertou hoje que procurar “o CDS fora do CDS” é “comprar gato por lebre”, num discurso com críticas ao Chega e à Iniciativa Liberal, salientando que o seu partido é “o original” e os outros “a cópia”.

“É muito importante que estes dois partidos que chegaram agora saibam que há 50 anos já cá estava o CDS”, afirmou Francisco Rodrigues dos Santos no comício de encerramento da campanha eleitoral para as eleições legislativas de domingo.

Em Lisboa, num palco montado em frente à sede do partido, no Largo Adelino Amaro da Costa, o líder centrista acusou Iniciativa Liberal e o Chega de “copiarem o CDS” em “tudo aquilo que são decentes”.

“Eles são cópia, nós somos o original, e nós estamos cá, bem vivos, para continuar a defender as nossas bandeiras de sempre”, criticou.

E alertou que “aqueles que procuram o CDS fora do CDS estão a comprar gato por lebre, estão a comprar partidos que votam ao lado da extrema-esquerda no aborto, na eutanásia, na regionalização, nas drogas, na prostituição e no cancelamento cultural”.

“E estão a votar em partidos extremistas que defendem aquilo que um bom cristão nunca pode defender em Portugal”, acrescentou.

2022-01-28
22:47

Incoerência? "PSD teve sempre as cartas na mesa, quem foi variando foi o PS"

Paulo Mota Pinto não vê “nenhuma novidade” nas declarações de Rui Rio sobre uma “gerigonça de Direita” e afirma que o líder do PSD disse que viabilizaria um Governo do PS, mas que dependeria de uma negociação e que há outras possibilidades – que nada incluem o Chega.

2022-01-28
22:45

Rio Rio não exclui uma "gerigonça à direita": "Costa ensinou-nos que se pode fazer diferente"

Rio Rio não exclui uma "gerigonça à direita" no caso do PS vencer as eleições, mas se houver uma maioria de deputados de direita no Parlamento.

Esta noite em declarações à SIC, o líder do PSD disse que se esse cenário acontecer, a direção do partido irá tomar uma decisão

2022-01-28
22:44

Catarina Martins diz que voto no BE “é que desempata” e que “nada está escrito”

 A coordenadora do BE, Catarina Martins, apelou hoje ao voto “para fazer o que não tem sido feito”, considerando que é a “força do Bloco que vai desempatar o país e criar as soluções” porque “nada está escrito”.

No comício de encerramento da campanha para as legislativas de domingo, que decorre esta noite na Alfândega do Porto, Catarina Martins revisitou estas duas semanas de corrida eleitoral, num derradeiro apelo ao voto dirigido aos mais diferentes setores da sociedade.

“Confrontámos o PS e viemos a estas eleições com objetivos claros. O voto no Bloco de Esquerda é o voto que vence a direita, mas é também o voto para um contrato para este país que não esqueça o salário, a pensão, a saúde, a habitação, a educação, o clima. É o voto para fazer o que não tem sido feito, é o voto para desbloquear as soluções, é o voto para não deixar esquecido quem está mais frágil”, apelou.

Voltando a criticar o “discurso ambíguo” do PS, a líder do BE avisou que o centrão “só trará problemas e nunca soluções”.

2022-01-28
22:43

Ventura declara-se “aberto a qualquer relacionamento, seja conjugal ou extraconjugal”

No último dia de campanha, o Chega esteve no centro de Lisboa. Do Camões aos Restauradores, os militantes cantaram três vezes o hino e André Ventura voltou a colocar o objetivo nos 7%. Quanto a coligações ou entendimentos no pós-eleições, fez metáforas
Leia mais aqui