“Quando se está a falar de apropriação cultural está-se a falar de algo diferente daquilo que aconteceu com a Rita Pereira”

21 jul, 22:12

Um vídeo nas redes sociais foi suficiente para trazer o assunto para cima da mesa. Rita Pereira filmou-se a dançar ao som de Filha da Tuga, canção de Irmã, para mostrar o seu novo penteado, umas tranças comummente usadas pelas mulheres negras. E num ápice foi acusada de apropriação cultural.

A antropóloga Sara Saraiva diz que, no caso de Rita Pereira, o uso de tranças é um sinal de “admiração” pela cultura africana

“Quando se está a falar de apropriação cultural está-se a falar de algo diferente daquilo que aconteceu com a Rita”, diz a especialista, explicando que “aquilo que move” as mulheres brancas a fazer, por exemplo, tranças, “é justamente uma certa admiração pelos traços da cultura negra”.

Artes

Mais Artes

Patrocinados