Paulo Portas: "Em vida Isabel II foi o dever, na morte é a admiração, na memória ficará a união"

18 set, 22:34

"Em vida Isabel II foi o dever, na morte é a admiração, na memória ficará a união", diz Paulo Portas, no "Global", o seu espaço semanal de comentário no Jornal das 8 da TVI, sublinhando que "é absolutamente extraordinário ter podido assistir isto, é exemplar o reconhecimento do povo britânico".

Depois das cerimónias de amanhã, "os ingleses acordarão na terça feira com a nova realidade". Carlos III, está certamente preparado para ser rei porque se preparou durante décadas. Mas "cada um tem a sua identidade e o seu estilo".  Para o comentador, "há um ponto que será muito interessante de seguir: o principe Carlos tinha mais opiniões do que a mãe e expressava-as publicamente, em assuntos onde teve razão (por exemplo, ambiente, proteção do património, urbanismo). Agora, terá que se conter ou que evoluir, porque a sua função é outra".

Comentadores

Mais Comentadores

Patrocinados