O "silêncio e a tristeza" de Ricardo Salgado. Será o fim do clã Espírito Santo?

Jornalista de economia da TVI e TVI24.pt desde outubro de 2013.

Foi Editora da Agência Financeira e comentadora da TVI e TVI24 entre 2006 e 2013, onde alimentava a secção de economia da tvi24.pt e Push by IOL.

Licenciou-se em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa.

Realizou estágio na Agência Financeira em 2001, passando a integrar a redação como jornalista no final desse ano. Escreveu sobre empresas, mercados, macroeconomia, impostos e finanças pessoais.

Ao longo dos anos colaborou com várias rádios (Rádio Capital, Rádio Mais, Antena 1, Rádio Clube Português e Rádio Renascença) para comentários de mercados, finanças pessoais e temas económicos.

Colaborou também com os jornais «O Independente» e «Metro», tendo integrado a equipa que fundou o jornal online «Diário Financeiro», que chegou a editar.
25 jan, 21:42

A queda do Banco Espírito Santo, em 2014, já custou aos portugueses mais de oito milhões de euros. Oito anos e meio depois da resolução do BES, vai recomeçar, ou pelo menos está previsto, a instrução do caso, agora com um novo juiz. É um dos maiores processos da história da Justiça portuguesa que conta com 27 arguidos: 23 pessoas e 4 empresas.

A figura central é Ricardo Salgado, ex-presidente do banco e representante máximo de um clã que, do nada e em 4 gerações, se tornou num dos mais poderosos do país. 

Das origens aos dias de hoje, a jornalista Paula Gonçalves Martins leva-nos a conhecer a obra e a desgraça dos Espírito Santo.

Poder

Mais Poder

Mais Vistos

Patrocinados