"O que se espera para 2023 não será, de todo, tréguas e paz". Mas, mesmo em tempos de guerra, persistem as celebrações de vida e amor

7 jan, 09:04

Neste novo ano, o Ocidente continua a cumprir a promessa de fornecer apoio à Ucrânia.

A França já prometeu entregar veículos de combate de fabrico nacional, para além de um sistema de laboratório de ADN móvel que permitirá identificar as vítimas mortais da guerra. Seguiram-se os Estados Unidos, com o anúncio de um novo pacote de ajuda militar de três mil milhões de dólares. 

A Bielorrússia, por outro lado, tem vindo a reforçar a cooperação militar com a Rússia. 

Ireneu Teixeira, comentador da CNN Portugal, faz o balanço destes últimos desenvolvimentos e o que poderão significar para o ano de 2023 - não esquecendo, porém, as celebrações de vida e amor que continuam a acontecer mesmo durante a guerra. 

Europa

Mais Europa

Patrocinados