O “crime” contra Montenegro e a resposta ao PS: "Foi [Costa] que foi para o balneário antes do intervalo"

3 mar, 21:54

No Global deste domingo, Paulo Portas analisa o discurso de entrada de António Costa na campanha eleitoral. "Foi ele que foi para o balneário antes do intervalo", garante, afirmando que o PS está "prisioneiro de uma estratégia que já não cola".

O comentador frisou também que "não é possível desvalorizar" a ação dos ativistas climáticos, que atiraram tinta verde a Luís Montenegro. "Obviamente que é uma agressão, é um crime", diz.

Comentadores

Mais Comentadores

Mais Vistos

Patrocinados