"Nunca ninguém esperaria que um país com aquelas características fosse tão vulnerável e dependente da Rússia". A análise de Paulo Rangel sobre a posição alemã

7 mai, 00:04

"Obviamente que uma Alemanha rearmada terá uma capacidade de intervenção política muito diferente daquela que tem hoje", diz Paulo Rangel, considerando que tal só aconteceu agora "porque a Alemanha percebeu que a sua estratégia baseada no desenvolvimento de laços económicos falhou completamente". O eurodeputado explica que o país se entregou de forma "quase ingénua" a uma dependência do petróleo e do gás russo. "Nunca ninguém esperaria que um país com aquelas características fosse tão vulnerável e tão dependente da Rússia". 

Comentadores

Mais Comentadores

Patrocinados