“Não há motivo para que existam medidas mais restritivas do que aquelas que já existem”

11 nov, 09:40

Miguel Guimarães, bastonário da Ordem dos Médicos, voltou a mostrar a sua discordância com o regresso das reuniões do Infarmed, pois a situação está controlada, não havendo um agravamento significativo da doença.

O bastonário defende que a pandemia continua a ser vigiada, quer pelo INSA quer pela Direção-Geral da Saúde. “Não há aqui falhas no acompanhamento da pandemia e, neste momento, não há motivo para que existam medidas mais restritivas do que aquelas que já existem”.

“O que é mais importante realçar no meio disto disto tudo é que é fundamental que as pessoas sejam vacinadas contra a covid-19 e a gripe”.

E, para Miguel Guimarães, estas “são as medidas essenciais neste momento”.

Covid-19

Mais Covid-19

Patrocinados