"Não é possível saber se estão vivos". Oksana fugiu para Portugal com as duas filhas. Para trás ficou o marido, os pais e o irmão

22 mar, 19:00

O número de ucranianos a chegar a Portugal já ultrapassou os dez mil. Para trás fica uma vida, à chegada recomeçam do zero.

A CNN Portugal esteve num centro de refugiados em Cascais, onde em cada quarto há uma família e uma história.

Oksana Kyrychok conseguiu chegar em segurança com as duas filhas pequenas, mas para trás deixou o marido, que ficou a combater. 

"Não é possível saber se estão vivos", disse a mulher, que não consegue comunicar com os pais e irmão há quatro dias.

País

Mais País

Patrocinados