“Mantive-me com todas as forças que tinha”

6 nov, 12:42

Jerónimo de Sousa frisou que a decisão de deixar de ser secretário-geral do PCP foi tomada “por iniciativa própria, tendo em conta a própria intervenção cirúrgica, tendo em conta sequelas que não se compadecem com o calendário e o programa de um secretário-geral”.

O político foi operado em janeiro, em plena campanha eleitoral para as legislativas que acabaram por dar a maioria absoluta ao Partido Socialista, e reconheceu que na altura manteve-se “com todas as forças que tinha”.

Partidos

Mais Partidos

Patrocinados