Inseminação pós-morte: Ângela Ferreira iniciou finalmente os tratamentos para ter um filho do marido que morreu em 2019

27 abr, 22:19

A inseminação pós-morte foi legalizada em Portugal na sequência de uma série de reportagens da TVI que deram voz a Ângela Ferreira, uma mulher do Porto que quer engravidar do marido que morreu em 2019.

Em 2020, mais de 100 mil pessoas juntaram-se à causa desta mulher e assinaram uma petição que obrigou a Assembleia da República a discutir a alteração à lei. Rapidamente, vários partidos mostraram-se solidários e apresentaram, também, projetos de lei no mesmo sentido. Depois de um veto do Presidente da República, a nova lei da procriação medicamente assistida entrou em vigor em novembro do ano passado.

Família

Mais Família

Patrocinados