“É preocupante e temos de intervir”. Porto Santo está a perder areia de ano para ano

Correspondente CNN Portugal na Madeira
25 ago, 10:35

Aquela que ganhou o prémio da melhor praia europeia de 2022, considerada uma das sete maravilhas de Portugal, está a perder a areia que lhe dá o nome de Ilha Dourada. O fenómeno não é novo, mas tem vindo a piorar, sobretudo nos últimos anos. Nas redes sociais ligadas aos amantes das viagens, há cada vez mais partilhas sobre o tema. Pode estar em risco um património geológico único e um recurso económico estratégico para a região e para o país.

Sofia Santos é geóloga e alerta: “é preocupante e temos de intervir. A areia é um recurso natural, limitado, não renovável, sendo também terapeuta e medicinal é um recurso que temos de manter.”

Uma perspetiva partilhada por João Rodrigues. Comerciante há 25 anos num bar da praia mais afetada. “No dia 01 de Junho fui à Madeira, estava cheio de areia e quando regressei já estava assim, foi a natureza que levou e o mar nunca mais a arrastou cá para dentro.”

A natureza contribui, mas há outros fatores nesta dinâmica do areal que não é constante, nem cíclica. João não tem dúvidas que “o que está mal feito neste momento é o porto de abrigo, que não deixa a areia circular aqui nesta zona, porque ela circula mais para fora.” Já Sofia avança que, além da influência humana, “não só pela construção do porto de abrigo, com a retirada de rochas, as mudanças climáticas, a alteração da direção do vento, a construção em cima das dunas” contribuem em grande escala para o desaparecimento da areia.

Décadas de estudos académicos sobre as causas deste problema aumentam a consciência coletiva e conduzem a conclusões e a soluções que passam pela cooperação de entidades públicas, privadas e utilizadores das praias. Soluções que a geóloga partilha com a CNN Portugal. 

País

Mais País

Patrocinados