“De repente, temos o sistema a abanar mais uma vez por todos os lados”: Pedro Santos Guerreiro sobre a crise na Madeira

29 jan, 21:22

Pouco mais de dois meses após Marcelo Rebelo de Sousa ter anunciado a dissolução da Assembleia da República e consequentes eleições legislativas, a recente crise política na Madeira vem trazer uma “instabilidade alastrada” a nível político.

Para Pedro Santos Guerreiro, diretor executivo da CNN Portugal, “de repente temos o sistema a abanar mais uma vez por todos os lados”, o que causa uma sensação de “instabilidade” junto da população. “Imagino que a maior parte das pessoas que nos está a ver esteja a sentir o que eu estou a sentir nos últimos dias, que é uma instabilidade alastrada”, diz, defendendo que, “no meio desta instabilidade tão grande, olhamos todos para o Presidente da República, que é o primeiro e último reduto no que diz respeito à estabilidade das instituições”. E sobre o papel de Marcelo Rebelo de Sousa, Pedro Santos Guerreiro é taxativo: “Claro que ele tem de falar, uma vez e de vez, inclusivamente para esclarecer todas estas questões”.

Pedro Santos Guerreiro afirma que o cenário mais “óbvio” é a realização de eleições antecipadas na Madeira e defende que “politicamente quem se destacou foi o PAN, não o PSD, porque o PSD nacional foi desafio defensivo” em toda esta questão.

Partidos

Mais Partidos

Mais Vistos

Patrocinados