Depois de uma subida, confiança dos consumidores volta a baixar

Agência Lusa , CM
29 nov 2021, 13:13
Lisboa
Lisboa

Indicador de clima económico também diminuiu em novembro

PUB

O indicador de confiança dos consumidores diminuiu em outubro e novembro, após ter aumentado nos dois meses anteriores, divulgou, nesta segunda-feira, o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O indicador de clima económico, que tem tido um comportamento irregular desde julho, também diminuiu em novembro.

PUB

Por setores, o INE observou que, no mês em análise, os indicadores de confiança diminuíram na construção e obras públicas, “de forma significativa” e no Comércio.

Por outro lado, o indicador de confiança aumentou na indústria transformadora, contrariando a diminuição observada no mês anterior, e nos serviços, prolongando o movimento do mês anterior.

O saldo das perspetivas dos consumidores relativas à evolução dos preços aumentou nos últimos três meses, de forma expressiva em outubro e novembro, atingindo o valor máximo dos últimos dez anos, referiu o INE.

Já as expectativas dos empresários sobre a evolução futura dos preços de venda atingiram o valor máximo das respetivas séries na construção e obras públicas e no comércio, enquanto na indústria transformadora situaram-se no valor máximo desde novembro de 1990.

PUB
PUB
PUB

Por fim, o saldo das expectativas de evolução dos preços de prestação de serviços aproximou-se do máximo da série registado em novembro de 2005.

Sentimento económico também em queda na zona euro

O indicador do sentimento económico diminuiu em novembro na zona euro e na UE, mas o das expectativas de emprego atingiu, em ambas, o nível mais alto desde janeiro de 2018, segundo dados da Comissão Europeia.

De acordo com a Direção-geral dos Assuntos Económicos e Financeiros da Comissão Europeia, em novembro, o Indicador de sentimento económico diminuiu em 1,1 pontos, face a outubro, tanto como na área do euro quanto na União Europeia (UE), para os 117,5 e os 116,5 pontos, respetivamente.

Por seu lado, o indicador de expectativas de emprego subiu para 115,6 pontos em ambas as zonas (1,7 e 1,4 pontos na zona euro e na UE), atingindo o seu nível mais elevado desde janeiro de 2018.

Entre as maiores economias da UE, o sentimento económico melhorou em França (3,0 pontos), em Itália (0,9) e na Polónia (0,5) e piorou em Espanha (-2,6), nos Países Baixos (-2,1) e na Alemanha (-1,7).

PUB
PUB
PUB

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Economia

Mais Economia

Patrocinados