“Não se antevê um verão fácil”: Técnicos de Emergência denunciam esperas de uma hora por socorro. INEM ativa mais 44 meios

Agência Lusa , DCT, atualizado às 20:35
28 abr 2023, 17:37
INEM (Imagem Creative Commons)

“A ANTEM ficou a saber que durante o dia de ontem [quinta-feira] foram demasiadas as situações semelhantes a estas”, assegurou ainda a associação.

A Associação Nacional dos Técnicos de Emergência Médica (ANTEM) denunciou esta sexta-feira tempos de espera de cerca de uma hora no socorro em várias zonas do país na quinta-feira, alertando que “não se antevê um verão fácil” nesta área.

Em comunicado, a ANTEM adiantou que, em Almada, um homem de cerca de 60 anos, com ferimentos cranioencefálicos na sequência de uma queda, “teve que aguardar cerca de 45 minutos para receber auxílio”.

De acordo com a associação, no distrito de Setúbal, registaram-se “esperas de uma hora para outras ocorrências idênticas” e, em Faro, verificaram-se “vários doentes com tempos de espera também a rondar os 60 minutos”.

“A ANTEM ficou a saber que durante o dia de ontem [quinta-feira] foram demasiadas as situações semelhantes a estas”, assegurou ainda a associação.

A associação alertou ainda que, com a greve dos técnicos de emergência pré-hospitalar (TEPH) do INEM ao trabalho extraordinário e com o previsível maior envolvimento dos bombeiros no combate aos fogos rurais, “não se antevê um verão fácil no que diz respeito ao número de meios disponíveis” para o Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM).

O SIEM é constituído pelos meios próprios do INEM, mas também dos bombeiros e da Cruz Vermelha Portuguesa, que funcionam em complementaridade.

“Não se perspetiva qualquer tipo de medida por parte do INEM no sentido de mitigar esta inevitabilidade”, salientou ainda a associação, para quem os Postos de Emergência Médica sazonais, na prática, “nada mais são do que meios que já existem na sua maioria nos Corpos de Bombeiros e que habitualmente são utilizados pelo SIEM como meios de reserva”.

Os TEPH iniciaram em 17 de abril uma greve ao trabalho extraordinário e por tempo indeterminado para reivindicar o cumprimento de direitos laborais e a revisão da carreira.

INEM ativa mais 44 meios de socorro face a previsível aumento de ocorrências

O INEM anunciou hoje um reforço de 44 meios de socorro a partir de segunda-feira, para responder ao previsível aumento de ocorrências, e garantiu que o tempo médio de resposta tem sido inferior a 15 minutos em áreas urbanas.

“Para acautelar a resposta ao aumento previsível das ocorrências durante o período de primavera e verão, face ao calor e deslocações da população, será ativado, já a partir do dia 1 de maio, o Plano de Reforço da Rede de Meios de Emergência Médica, com mais 44 meios de socorro a operar”, adiantou o instituto à agência Lusa.

Salientou ainda que esta rede é complementada pelas entidades parceiras na emergência pré-hospitalar - os corpos de bombeiros e Cruz Vermelha Portuguesa -, num total de mais de 600 meios operacionais.

A Associação Nacional dos Técnicos de Emergência Médica (ANTEM) denunciou hoje tempos de espera de cerca de uma hora no socorro em várias zonas do país na quinta-feira, como em Almada, Setúbal e Faro, alertando ainda que “não se antevê um verão fácil” nesta área.

País

Mais País

Mais Lidas

Patrocinados