“Se as receitas não crescem, torna-se insustentável”. Setor dos transportes quer apoio do Estado

30 jun, 09:15

Hoje termina o apoio aos transportes públicos e táxis. Luís Espírito Santo, da empresa Espírito Santo que opera em Vila Nova de Gaia, diz que “nem passa pela cabeça a não continuidade da devolução parcial do ISP pago”. O valor é de 2.100 euros por autocarro, mas Luís Espírito Santo diz que “esse valor é insuficiente para os custos”.

Quanto à possibilidade do aumento do preço dos bilhetes de transporte à boleia do fim do apoio, o empresário diz que “a decisão é do Governo”. “É evidente que não havendo aumento de receitas e havendo o agravamento de custos que está a acontecer, a degradação que aconteceu é inevitável, mas o nosso objetivo é trabalhar a sério”.

“Se as receitas não crescem, torna-se insustentável”, diz.

Empresas

Mais Empresas

Patrocinados