Enfermeiros culpabilizam “carência estrutural” pelo “número louco de 5,5 milhões de horas extra”

3 dez 2021, 11:48

Guadalupe Simões, dirigente nacional do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, lembra que há longos anos que a classe alerta para a “carência estrutural” de profissionais no setor.

Perante a falta de enfermeiros e a pandemia, o sindicato considera que não existia nenhuma outra solução para assegurar o funcionamento do SNS se não o Governo recorrer a prestações de serviços. No entanto, a dirigente lembra que ainda não foram pagas todas estas horas de trabalho pós-laboral.

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados