De “sucessora preferida” ao trono socialista à saída inglória. A queda de Marta Temido, a ministra que resistiu à pandemia

30 ago, 20:50

O caso de Marta Temido mostra como, na política, um ano é muito tempo. A ministra da Saúde passou de trunfo político nas campanhas eleitorais a um dos elementos mais tóxicos do atual Governo de António Costa.

Perdeu popularidade, perdeu apoio político, mesmo entre os socialistas, e acabou por sair sem glória, pela porta pequena, num anúncio feito durante a madrugada.

Governo

Mais Governo

Patrocinados