Afinal, casas de férias ficam de fora das propostas do Governo



Jornalista da editoria de política desde 2004, entrou para a TVI em 2003 e trabalhou na editoria de sociedade e no programa "Diário da Manhã", onde integrou a equipa fundadora do projecto.

Licenciada em Comunicação Social e Cultural pela Universidade Católica Portuguesa e mestre em Ciência Política pela mesma insttiuição.

Autora da obra "A Transição impossível: a ruptura de Francisco Sá Carneiro com Marcello Caetano" (Casa das Letras).
18 fev, 20:32

O arrendamento coercivo pode ser aplicado a casas devolutas mesmo que estejam em bom estado. De fora ficam as casas de férias.

Os esclarecimentos foram feitos pela Ministra da Habitação, Marina Gonçalves, que  garante que não está em causa o direito à propriedade e que o Estado não vai ocupar a casa das pessoas.

Já o apoio ao arrendamento deverá chegar a cerca de 100 mil famílias e vai estar disponível até ao sexto escalão do IRS, ou seja pessoas que ganham até 38.600 euros por ano.

Imobiliário

Mais Imobiliário

Mais Vistos

Patrocinados