“A Rússia não é famosa por tratar bem prisioneiros, o mais provável é que desapareçam”, António José Telo

18 mai, 00:01

Esta terça-feira ficou marcada pela retirada dos soldados do Batalhão Azov da siderúrgica Azovstal. Estes homens são agora prisioneiros russos, uma circunstância da qual não advém perspetivas animadoras, como alerta o historiador António José Telo.

Comentadores

Mais Comentadores

Patrocinados