Em atualização

AO MINUTO | EUA e Grã-Bretanha atingem 18 alvos Houthis no Iémen

2024-02-23

O que está a acontecer

2023-10-23
15:49

Ministra da Justiça promete "máxima rapidez" no pedido de nacionalidade de refém do Hamas

A ministra da Justiça prometeu hoje a “máxima rapidez” na análise do pedido de nacionalidade portuguesa por parte de um israelita refém do movimento islamita Hamas, realçando que “situações excecionais merecem decisões excecionais”.

“Situações excecionais merecem decisões excecionais. Nós estamos neste momento a avaliar com a máxima rapidez possível a situação para podermos responder”, afirmou Catarina Sarmento e Castro, quando questionada pela comunicação social à margem da assinatura de um protocolo com a Cruz Vermelha em Ponta Delgada, nos Açores.

Sem detalhar o caso, a governante realçou que é “timbre do Ministério da Justiça” a “proteção dos direitos fundamentais” dos cidadãos.

Em causa está uma notícia avançada pelo jornal Público sobre o pedido de nacionalidade de um cidadão israelita que se encontra refém do Hamas.

À agência Lusa, o Ministério da Justiça, numa resposta por escrito, adiantou que está a “analisar este pedido com a necessária urgência, em estreita articulação com outras áreas governativas, nomeadamente os Negócios Estrangeiros, atendendo ao contexto no terreno”.

Na reposta, o ministério recorda que “qualquer pedido de nacionalidade implica consultas a diferentes entidades”.

O grupo islamita Hamas lançou em 07 de outubro um ataque surpresa contra o sul de Israel com o lançamento de milhares de foguetes e a incursão de milicianos armados, que fizeram duas centenas de reféns.

Em resposta, Israel declarou guerra ao Hamas, movimento que controla a Faixa de Gaza desde 2007 e que é classificado como terrorista pela União Europeia e Estados Unidos, bombardeando várias infraestruturas do grupo na Faixa de Gaza e impôs um cerco total ao território com corte de abastecimento de água, combustível e eletricidade.

O conflito já provocou milhares de mortos e feridos, entre militares e civis, nos dois territórios.

Siga ao minuto:

2024-02-24
23:33

EUA e Grã-Bretanha atingem 18 alvos Houthis no Iémen

As forças norte-americanas e britânicas executaram ataques contra 18 alvos Houthi em oito locais no Iémen, conforme noticiado pela Reuters. A ação militar teve como alvo instalações subterrâneas de armazenamento de armas e mísseis, além de sistemas de defesa aérea, radares e um helicóptero.

Uma declaração conjunta dos países participantes sublinhou a necessidade destes ataques em resposta aos contínuos ataques dos Houthi contra a navegação na região. 

2024-02-24
20:25

Estados Unidos intercetam míssil no Golfo de Aden

O Comando Central (CENTCOM) dos Estados Unidos da América anunciou que o navio USS Mason intercetou com sucesso um míssil antinavio que foi disparado das regiões controladas pelos rebeldes houthis em direção a uma embarcação no Golfo de Aden. 

De acordo com a Reuters, este míssil teria como alvo um navio petroleiro. Num comunicado, o CENTCOM acrescentou que nenhuma embarcação sofreu qualquer tipo de danos.

2024-02-24
18:34

Líderes israelitas vão discutir possibilidade de chegar a um acordo de paz

O gabinete de guerra israelita vai ser informado pela equipa de negociações que esteve em conversações em Paris sobre uma possível trégua em Gaza, afirmou o conselheiro de segurança nacional de Benjamin Netanyahu, citado pela Reuters.

2024-02-24
10:22

Lula não volta atrás e repete acusações a Israel: "Não é guerra, é genocídio"

O presidente do Brasil, Luiz Inácio ‘Lula’ da Silva, voltou a acusar Israel de estar a cometer genocídio contra os palestinianos, repetindo acusações controversas do início da semana em que comparou a ofensiva militar hebraica na Faixa de Gaza ao Holocausto nazi.

Israel continua a rejeitar as acusações de genocídio, dizendo que a guerra tem apenas como objetivo destruir o grupo islamita Hamas, e não o povo palestiniano – apesar de as forças israelitas já terem matado mais de 29.600 pessoas, na sua maioria civis, incluindo mais de 12.660 crianças.

Confrontado com estes números, Telavive diz que o Hamas é responsável por estas mortes, por operar em áreas civis, isto num território com apenas 365 quilómetros quadrados, e cujo norte e centro já foram quase totalmente destruídos em quatro meses de bombardeamentos e operações terrestres.

Na rede social X, Lula escreveu que não vai abdicar da sua “dignidade pela falsidade”, numa aparente referência às pressões que tem sofrido para voltar atrás nas acusações a Israel. “O que o governo de Israel está fazendo não é guerra, é genocídio”, escreveu este sábado. “Crianças e mulheres estão sendo assassinadas.”

Em resposta aos primeiros comentários de Lula há cinco dias, Israel declarou o chefe de Estado brasileiro ‘persona non grata’ e convocou o embaixador do Brasil em Telavive para lhe exigir um pedido de desculpas. O governo Lula retaliou e convocou o seu embaixador em Israel para auscultações.

2024-02-24
10:12

Ataque Houthi "ameaça piorar desastre ambiental" no Mar Vermelho

Um ataque dos rebeldes Houthis do Iémen a um navio com bandeira do Belize no início deste mês causou um derrame significativo de petróleo que ameaça o ecossistema o Mar Vermelho, indicaram fontes do Exército norte-americano este sábado, citadas pela Associated Press.

O Rubymar, navio registado no Reino Unido e operado por uma empresa do Líbano, foi atacado a 18 de fevereiro quando navegava pelo Estreito Bab el-Mandeb, que liga o Mar Vermelho ao Golfo de Áden, indicou o Comando Central (Centcom) dos EUA.

Em comunicado, o Centcom disse que o ataque com mísseis forçou a tripulação a abandonar o navio, que navegava rumo à Bulgária vindo de Khorfakkan, nos Emirados Árabes Unidos, transportando mais de 41 mil toneladas de fertilizante.

A embarcação susteve danos significativos, que culminaram numa mancha de petróleo de 29 quilómetros, havendo agora o risco de que o derrame chegue ao Mar Vermelho e “piore o desastre ambiental” decorrente do ataque.

“Os Houthis continuam a demonstrar desrespeito pelo impacto regional dos seus ataques indiscriminados, ameaçando a indústria pesqueira, as comunidades costeiras e a importação de bens alimentares”, indicou o Comando Central dos EUA.

A mesma fonte referiu que lançou ataques contra áreas controladas pelos Houthis no Iémen na sexta-feira, destruindo sete mísseis cruzeiro móbeis anti-navio que os rebeldes se preparavam para lançar contra o Mar Vermelho.

Os Estados Unidos classificam estes ataques como “autodefesa” e dizem que os mísseis “representavam uma ameaça iminente a embarcações comerciais e a navios da Marinha norte-americana na região”.

2024-02-24
09:52

Blinken diz que expansão de colonatos na Cisjordânia ocupada são "inconsistentes" com a lei internacional

A expansão dos colonatos israelitas na Cisjordânia ocupada são “inconsistentes” com o Direito Internacional, disse o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, na sexta-feira, sinalizando um retorno dos Estados Unidos à sua política de longa data quanto à Palestina e Israel, que tinha sido revertida pela anterior administração de Donald Trump.

Essa política foi revertida pelo presidente republicano em 2019, permitindo a expansão dos colonatos ilegais no território ocupado.

Em conferência de imprensa em Buenos Aires, capital da Argentina, Blinken disse que os EUA estão “desiludidos” com o anúncio do governo israelita de Benjamin Netanyahu, um passo que Washington considera contraproducente nos esforços para alcançar a paz.

“São inconsistentes com o Direito Internacional. A nossa administração mantém uma oposição firme à expansão dos colonatos, e na nossa opinião isto apenas enfraquece, não reforça a segurança de Israel”, sublinhou o chefe da diplomacia da administração Biden.

2024-02-24
09:51

OCHA pede "aumento urgente" de ajuda humanitária

O Gabinete das Nações Unidas que coordena os Assuntos Humanitários (OCHA) disse na sexta-feira que, “sem o fornecimento adequado de comida e água, bem como serviços de nutrição e saúde, o elevado risco de fome em Gaza deverá aumentar”.

“Trabalhadores humanitários precisam de acesso sem restrições [ao enclave palestiniano] para um aumento urgente da ajuda”, por forma a “evitar a ameaça de fome em massa”, escreveu a OCHA na rede social X.

“A fome está iminente, a água está reduzida a um fio, as doenças são galopantes, o sistema de saúde está dizimado, e outros serviços e bens básicos estão severamente limitados”, acrescentou a agência na mesma publicação.

Na sua última atualização sobre a situação em Gaza, a OCHA tinha citado relatos da organização Save The Children sobre famílias palestinianas se verem obrigadas a “procurarem restos de comida deixados por ratos e a comer folhas no desespero para sobreviver”, indicando que os “níveis catastróficos de insegurança alimentar aguda estão a intensificar-se por toda Gaza”.

2024-02-24
09:32

Israel mata pelo menos 92 palestinianos em 24 horas

Os números são do Ministério da Saúde de Gaza: nas últimas 24 horas, sobretudo durante a noite e madrugada, os ataques de Israel vitimaram pelo menos 92 palestinianos na Faixa de Gaza.

Em comunicado, o Ministério indica que pelo menos 29.606 palestinianos já foram mortos e 69.737 ficaram feridos no enclave desde o início da guerra de Israel contra o Hamas, a 7 de outubro.

2024-02-24
08:44

UNRWA alerta para "ponto de rutura" em todas as atividades na Faixa de Gaza

A Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina no Médio Oriente (UNRWA) alertou este sábado para um "ponto de rutura" nas suas atividades em toda a Faixa de Gaza.

Citado pelos media internacionais, o chefe da agência, Philippe Lazzarini, disse que todas as reservas disponíveis no enclave vão esgotar-se em março e que muitos colegas da agência da ONU já cessaram as atividades no norte de Gaza.

Há cerca de um mês, Israel acusou "alguns" funcionários da UNRWA de terem estado envolvidos no ataque de 7 de outubro perpetrado pelo Hamas. Apesar de não ter, até agora, apresentado provas consistentes que sustentem as alegações, vários países decidiram suspender o financiamento à agência, que já perdeu cerca de 450 milhões dólares (415 milhões de euros) em fundos.

Portugal é um dos poucos países que mantém o financiamento à UNRWA, tendo anunciado recentemente o envio de um milhão de euros para que a agência possa prestar assistência à população da Faixa de Gaza, onde mais de 29 mil pessoas já morreram, na sua maioria mulheres e crianças.

2024-02-24
08:33

Israel vai testar pós-guerra em Gaza com "bolsas humanitárias", diz oficial

Israel está à procura de palestinianos sem filiação ao Hamas para gerirem os assuntos civis em determinadas áreas da Faixa de Gaza no que designa de "terreno de testes" para uma administração pós-guerra no enclave, disse uma fonte sénior do governo hebraico citada pela Reuters.

O Hamas diz que o plano, que exclui qualquer oficial com ligações à Autoridade Palestiniana reconhecida pela comunidade internacional, corresponde a uma reocupação israelita de Gaza e está destinada ao fracasso,

Segundo o oficial citado pela Reuters, as "bolsas humanitárias" correspondem a partes do território de onde o Hamas já foi expulso, num plano que tem como objetivo último eliminar totalmente a fação islamita.

"Estamos a analisar quem são as pessoas certas para assumirem isto", disse a mesma fonte à agência, sob anonimato. "Mas é claro que isto levará o seu tempo, já que ninguém se chegará à frente se achar que o Hamas vai dar-lhes um tiro na cabeça".

Segundo o canal 12 israelita, o bairro de Zeitoun, a norte da Cidade de Gaza, é candidato à implementação deste plano, sob o qual comerciantes locais e líderes da sociedade civil seriam responsáveis pela distribuição de ajuda humanitária.

2024-02-23
18:00

Israel planeia construção de mais 3.300 habitações em colonatos ilegais na Cisjordânia

O ministro das Finanças Israelita, Bezalel Smotrich, anunciou hoje a construção de mais 3.300 habitações em três colonatos da Cisjordânia ocupada, decisão justificada pelo ataque palestiniano na quinta-feira que provocou a morte de um israelita na zona.

A decisão foi criticada pela Autoridade Nacional Palestiniana (AP).

Segundo um comunicado de Smotrich, dirigente do partido de extrema-direita Sionismo Religioso, o Governo vai tentar aprovar a construção nos colonatos, considerados ilegais pelas principais instâncias institucionais, de 2.350 novas casas em Maale Adumin, perto do local onde ocorreu o tiroteio, outras 300 em Keidar, e ainda 694 em Efrat.

“Que todo o terrorista que pretenda atacar-nos saiba que levantar um dedo contra cidadãos israelitas implicará um golpe mortal e destrutivo, para além do aprofundamento do nosso controlo eterno sobre toda a terra de Israel”, disse Smotrich, ele próprio de um colonato, classificando a decisão de “uma apropriada resposta sionista”.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da AP condenou “nos termos mais enérgicos o que foi divulgado pelos meios de comunicação judaicos relacionado com um plano israelita pelo qual o Governo de ocupação está a impulsionar a construção de mais de 3.300 novas unidades de alojamento na Cisjordânia ocupada, a maioria no colonato Maale Adumim”.

Na perspetiva da AP, a medida implica “um sinal oficial de Israel de anexação da Cisjordânia, incluindo Jerusalém leste, e de negação de qualquer oportunidade para a formação do Estado palestiniano, assim como um flagrante desafio à legitimidade internacional” e “aos esforços efetuados para terminar com a guerra e resolver o conflito por meios políticos”.

A organização não-governamental (ONG) Peace Now ('Paz Agora') denunciou a previsão de despender milhares de milhões de shekels (moeda local) em projetos relacionados com os colonatos no orçamento para 2024, e que deverá ser aprovado pelo Knesset (parlamento) nos próximos dias.

Segundo o projeto inicial, já aprovado pelo Governo israelita em 15 de janeiro, serão destinados 3.600 milhões de shekels (913 milhões de euros) em estradas na Cisjordânia para uso exclusivo dos colonos, 160 milhões (40 milhões de euros) em subsídios para as autoridades dos colonatos e 20 milhões (cinco milhões de euros) para “apoiar as explorações agrícolas [israelitas] na Cisjordânia, muitas delas ilegais”, assinala a Peace Now.

Outros 200 milhões de shekels (50 milhões de euros) estão designadamente destinados a projetos da associação Elad em 2024, que promove a expulsão de palestinianos em Jerusalém leste.

2024-02-23
16:42

Blinken diz que EUA ficaram "desiludidos" com anúncio de que Israel vai construir 3.000 casas nos colonatos

O secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, diz que os Estados Unidos ficaram "desiludidos" com o anúncio de Israel de que tem planos para construir 3.000 novas habitações nos colonatos ocupados na Palestina, noticia a Reuters.

A Casa Branca entende que estes colonatos são inconsistentes com a lei internacional e reafirma que esta é uma "conclusão fundamental", acrescentando que a anterior administração norte-americana foi "inconsistente" quanto a este tema.

2024-02-23
15:30

EUA abatem mais quatro drones Houthis e dois mísseis cruzeiro no Mar Vermelho

A armada norte-americana estacionada no Mar Vermelho anunciou que intercetou e destruiu mais quatro drones e dois mísseis cruzeiro antinavio que os rebeldes Houthis iriam lançar da costa do Iémen.

Os Estados Unidos justificam que determinaram que os engenhos representavam uma ameaça iminente para navios mercantes e para as embarcações de Washington estacionadas na região.

2024-02-23
13:43

Delegação israelita já está em Paris para negociações

David Barnea, diretor da Mossad (agência de espionagem de Israel) e Ronen Bar, diretor da Shin Bet (agência de segurança interna de Israel), já se encontram em Paris para desbloquear as negociações para um cessar-fogo em Gaza, avança a Al Jazeera.

2024-02-23
12:51

Cerca de 1,1 milhão de crianças em Gaza corre o risco de morrer à fome

A organização não-governamental Save The Children alerta que cerca de 1,1 milhão de crianças palestinianas que vivem na Faixa de Gaza pode morrer à fome ou por doenças, uma vez que a assistência médica está altamente comprometida.

2024-02-23
12:46

Hamas aguarda nova proposta de tréguas após conversações dos mediadores com Israel

O Hamas encerrou as negociações sobre o cessar-fogo no Cairo e aguarda agora o resultado das conversações dos mediadores com Israel, disse um responsável do grupo militante à Reuters, que diz que é esperado que Israel participe nas conversações que irão decorrer este fim de semana em Paris com mediadores dos EUA, do Egito e do Catar.

2024-02-23
12:36

ONU alerta que países que transferem armas para Israel podem estar a violar o direito internacional

“Todos os Estados não devem ser cúmplices de crimes internacionais através de transferências de armas”, lê-se numa publicação na conta suíça da ONU na rede social X, antigo Twitter. “Qualquer transferência de armas ou munições para Israel que sejam usadas em Gaza é susceptível de violar o direito humanitário internacional e deve parar imediatamente”.

2024-02-23
11:54

Morreu mais um prisioneiro palestiniano sob custódia de Israel

A Al Jazeera está a noticiar que um homem palestiniano morreu na prisão de Ramleh, no centro de Israel, citando as informações que recolheu junto da Sociedade de Prisioneiros Palestinianos. A confirmar-se esta morte, sobe para dez o número de prisioneiros palestinianos que perderam a vida sob custódia de Israel desde 7 de outubro.

2024-02-23
10:28

Autoridade Palestiniana rejeita plano pós-guerra de Netanyahu

A Autoridade Palestiniana rejeita qualquer plano proposto por Benjamin Netanyahu para o pós-guerra. “Se o mundo está verdadeiramente interessado na segurança e na estabilidade da região, deve pôr fim à ocupação israelita das terras palestinianas e reconhecer um Estado palestiniano independente com Jerusalém como capital”, declarou Nabil Abu Rudeineh, porta-voz do presidente Mahmoud Abbas, citado pelo The Guardian.

2024-02-23
10:14

Netanyahu apresenta o seu plano pós-guerra - sem Autoridade Palestiniana, com as IDF e uma "zona tampão"

O documento foi apresentado e discutido durante a noite com os ministros e o gabinete de segurança israelitas e voltou a destacar que, se Israel vencer o conflito, Gaza não terá qualquer influência da Autoridade Palestiniana.
Leia mais aqui