Em atualização

GUERRA AO MINUTO | Zelensky vem a Portugal assinar acordo de segurança. Oficial: Espanha entrega ajuda de 1,1 mil milhões à Ucrânia

Todas as informações mais recentes sobre o conflito na Ucrânia, que começou a 24 de fevereiro de 2022
2024-05-27

O que está a acontecer

2024-04-18
09:42

Queda da Ucrânia pode levar à “III Guerra Mundial”, alerta Shmyhal

O primeiro-ministro ucraniano, Denys Shmyhal, alerta, em entrevista à BBC, que a queda do seu país na guerra contra a Rússia poderia levar à “III Guerra Mundial”, apelando por mais “fundos” para a Ucrânia, embora se tenha mostrado “cuidadosamente otimista” com um novo pacote de ajuda financeira dos Estados Unidos. “Precisamos deste dinheiro ontem, não amanhã, não hoje”, alerta o governante, deixando claro uma mensagem que tem vindo a ser transmitida por Kiev: se não houver apoios e proteção, “a Ucrânia cairá” e, como consequência, “o sistema global de segurança será destruído” e o mundo precisará encontrar “um novo sistema de segurança”, sob a pena de haver “muitos conflitos, muitos tipos de guerras e, no final das contas, isso poderá levar à Terceira Guerra Mundial”.

Siga ao minuto:

2024-05-27
16:44

Instrutores franceses visitam centros de treino na Ucrânia "em breve"

O comandante supremo da Ucrânia, Oleksandr Syrskyi, assinou hoje um documento que permite uma visia "em breve" de instrutores militares franceses aos centros de treino na Ucrânia.
 
"É com prazer que acolho a iniciativa da França de enviar instrutores para a Ucrânia para formar militares ucranianos", disse Syrskyi, numa mensagem divulgada no Telegram.
 
"Já assinei os documentos que permitirão aos primeiros primeiros instrutores franceses visitarem em breve os nossos centros de formação e familiarizarem-se com as suas infraestruturas e pessoal", acrescentou.

2024-05-27
16:21

Rússia promete retaliar restrições impostas pela Polónia e ameaça: "Vão arrepender-se imenso"

A Rússia promete retaliar as restrições impostas pela Polónia aos movimentos diplomatas russos no seu território, avançam as agências de notícias russas, que citam um comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Segundo o ministério russo, Moscovo vai responder de tal forma que "os dirigentes russofóbicos vão arrepender-se imenso", refere-se no comunicado, citado pela Tass.

2024-05-27
16:00

IL quer estar com Zelensky em Portugal para lhe manifestar “apoio inequívoco”

O cabeça-de-lista da Iniciativa Liberal ao Parlamento Europeu revelou esta segunda-feira estar “a fazer os possíveis” para estar com o Presidente da Ucrânia, que visita Portugal na terça-feira, e manifestar-lhe o “apoio inequívoco” do partido.

“Posso-lhe adiantar que estou a fazer os possíveis para tentar estar com o Presidente da Ucrânia na visita a Portugal não só porque faz agora um ano que estivemos juntos em Kiev [Ucrânia], mas também porque se dá a circunstância de Volodymyr Zelensky ser presidente de um partido que é irmão da Iniciativa Liberal”, afirmou João Cotrim de Figueiredo no final de uma arruada, em Lisboa, ação que marcou o arranque oficial da campanha para as eleições europeias.

O Presidente da Ucrânia vai visitar Portugal na terça-feira e terá encontros com o chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, e o primeiro-ministro, Luís Montenegro, anunciou hoje a Presidência da República Portuguesa.

O candidato liberal, que neste primeiro dia de campanha se faz acompanhar do presidente da IL, Rui Rocha, garantiu “apoio inequívoco” à luta da Ucrânia.

Além de “apoio inequívoco”, João Cotrim de Figueiredo manifestou “toda a solidariedade” aos ucranianos na defesa da sua soberania territorial e política.

“Eu gostava de dizer isso de viva voz a Volodymyr Zelensky, um herói para o povo ucraniano”, salientou.

Por seu lado, o presidente da IL considerou esta visita no âmbito de uma campanha eleitoral para as europeias “uma excelente oportunidade” para os portugueses refletirem.

Segundo Rui Rocha, há partidos, como a IL, que são claros no seu apoio à Ucrânia e na importância de resistir e vencer a guerra, sendo esse o “caminho certo”, depois há outros que defendem que aquele país deve ceder às pretensões da Rússia, o que é “francamente indesejável”.

2024-05-27
15:42

Luís Montenegro recebeu homólogo são-tomense mas não falaram sobre acordo com a Rússia

Patrice Trovoada diz que "Portugal sabe perfeitamente" qual a posição de São Tomé e Príncipe sobre o conflito na Europa: "é a de condenação da invasão da Rússia à Ucrânia”
Leia mais aqui
2024-05-27
15:42

Paulo Rangel: Portugal condena os ataques da Rússia a civis em Kharkhiv

Portugal manifestou na União Europeia a sua condenação da atuação russa e sobretudo do "ataque massisso a Kharkhiv, nomeadamente à população civil", assim como os ataques junto às fronteiras da Finlândia, da Estónia e da Lituânia.

2024-05-27
15:37

Paulo Rangel diz que acordo que será assinado com Zelensky tem horizonte de dez anos

O ministro dos Negócios Estrangeiros disse esta segunda-feira que o acordo que vai ser assinado na terça-feira na presença do Presidente da Ucrânia sistematiza o todo o apoio prestado nos últimos dois anos e abrange os próximos dez.

“Foi concluído, há cerca de três semanas, o acordo político entre Portugal e a Ucrânia que é um acordo bilateral em todas as áreas em que cooperámos nestes dois anos”, disse Paulo Rangel em Bruxelas, no âmbito de uma reunião ministerial.

O acordo, assinado por ocasião da visita do Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, inclui a “assistência humanitária, financeira, militar, política” no que diz respeito ao processo de integração na União Europeia.

“Recolhe todas as dimensões em que trabalhámos, mas de uma forma sistematizada e com um horizonte de dez anos”, acrescentou.

 

2024-05-27
15:28

Um morto em ataque russo a Kharkiv

Ataque russo na cidade de Kharkiv fez uma vítima mortal entre a população civil e deixou ainda dez pessoas feridas, avançou o governador local, escreve a Lusa.

 "O inimigo atacou uma empresa civil com uma bomba teleguiada. Há danos nas instalações de produção", disse o governador da região, Oleh Syniehubov no Telegram.

2024-05-27
15:27

“Zelensky é e vai continuar a ser o presidente legítimo dos ucranianos enquanto o país estiver em guerra”

O rei Felipe VI recebeu esta segunda-feira VolOdymyr Zelensky no aeroporto de Barajas, em Madrid, naquela que é a primeira visita do presidente ucraniano a Espanha desde que a Rússia invadiu a Ucrânia, em 2022. O major-general Isidro de Morais Pereira analisa a importância do gesto do monarca espanhol, numa altura em que a Rússia ataca repetidamente a legitimidade do presidente ucraniano

2024-05-27
15:26

Felipe VI quis “demonstrar que, para a Espanha, Zelensky é o líder legítimo da Ucrânia”

O rei Felipe VI recebeu esta segunda-feira Volodymyr Zelensky no aeroporto de Barajas, em Madrid, naquela que é a primeira visita do presidente ucraniano a Espanha desde que a Rússia invadiu a Ucrânia, em 2022. Francisco Pereira Coutinho analisa a importância do gesto do monarca espanhol, numa altura em que a Rússia ataca repetidamente a legitimidade do presidente ucraniano

2024-05-27
15:26

Visita de Zelensky a Portugal "tem de ser muito restrita" porque ele continua a ser "um alvo da Rússia"

Espanha e a Ucrânia preparam-se para assinar um acordo de ajuda militar bilateral. O major-general Isidro de Morais Pereira analisa o possível impacto deste pacote de apoio e a possível visita do presidente ucraniano a Portugal

2024-05-27
15:21

Espanha vai ajudar a Ucrânia "do ponto de vista defensivo, mas não (para já) ofensivo"

O chefe de governo espanhol deixou claro que "os tais mil milhões" que Espanha vai ceder são para "garantir a defesa e ajudar a população civil", sublinha o comentador Tiago André Lopes. Ou seja, Espanha, tal como Itália e Alemanha, não vai corresponder ao pedido de ajuda militar para uma ofensiva ucraniana.

2024-05-27
15:20

"Este senhor simpático, vestido de verde, com um ar fofinho, está a querer levar-nos para uma guerra nuclear"

Volodymyr Zelensky "é um presidente que está preocupado em garantir os apoios internacionais, este é o plano político-diplomático puro e duro", afirma o major-general Agostinho Costa. O memorando assinado entre Espanha e a Ucrânia limita-se a "garantir a manutenção do apoio no plano civil, no plano defensivo", afirma o comentador, sublinhando que a guerra vive "um momento muito complexo", e explica porquê.

2024-05-27
15:19

Rangel confirma que Portugal vai apoiar a Ucrânia (mas não divulga valores da ajuda)

Em Bruxelas, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Rangel, explica que o acordo bilateral entre Portugal e a Ucrânia, que será assinado na terça-feira, foi concluído há três semanas e abrange "todas areas em que temos cooperado - assistencia humanitária, financeira, militar e política ao próprio processo de integração europeia - com um horizonte de dez anos no futuro". A visita de Zelensky "visa essencialmente a definição do quadro de relacionamento bilateral para os próximos anos e também a Ucrânia quer agradecer o esforço que Portugal tem feito" no apoio nos últimos dois anos.

2024-05-27
15:19

"O governo de Espanha renova o seu compromisso com a Ucrânia": as declarações de Sánchez

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, está esta segunda-feira em Espanha, onde se encontrou com o chefe do governo, Pedro Sánchez.

2024-05-27
15:19

"A Espanha não foi fraca quando teve de tomar decisões": Zelensky com Sánchez

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, está esta segunda-feira em Espanha, onde se encontrou com o chefe do governo, Pedro Sánchez.

2024-05-27
14:56

Relação de membros da CPLP com Rússia "não destruiu coesão"

O secretário executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa rejeitou esta segunda-feira a hipótese da coesão da organização ser afetada pelas relações da maioria dos Estados-membros com a Rússia, num momento de conflito com a Ucrânia.

Questionado pela Lusa sobre esta possibilidade, Zacarias da Costa respondeu: "Eu julgo que não. (...) Essas relações dos nossos Estados-membros já vêm de longe, e nem por isso destruíram a coesão que existiu e ainda existe dentro da nossa comunidade". Porque "eles não tomaram a decisão como CPLP", salientou.

Durante a visita oficial à Geórgia, um país amigo da federação russa e observador associado da CPLP há dez anos, acompanhado de representantes de oito dos nove Estados-membros da CPLP, Zacarias da Costa frisou: "Penso que a CPLP nunca esteve em causa nesses anos", frisou.

Por isso, sobre o acordo de cooperação com a Rússia assinado recentemente por São Tomé e Príncipe, país que têm desde agosto a presidência rotativa da CPLP, o secretário executivo frisou que se trata "de uma decisão soberana de um Estado-membro".

Contudo, admitiu que a situação da guerra Rússia - Ucrânia e a situação mundial “pode levar a interpretações diferentes”.

Quanto à visita da delegação da CPLP, que lidera, à Geórgia, país apoiante da Rússia e também com um regime autoritário, o secretário executivo defendeu a organização: "Nós fomos convidados há mais de um ano pelo Governo da Geórgia, diretamente pelo ministro dos Negócios Estrangeiros [do país], que efetuou uma visita à sede da CPLP”, assinalando que "esta é uma decisão de há algum tempo" e que"não tem nada a ver com o momento atual".

Zacarias da Costa explicou que a visita da delegação da CPLP tem como o objetivo de celebrar este ano a amizade e a relação daquela organização com “a Geórgia como observador associado”, lembrando que, ao longo de dez anos de relação com a Geórgia, a CPLP teve visitas “ao mais alto nível” de autoridades daquele país, desde o presidente do Parlamento, vários ministros e vice-ministros.

“Temos tido uma relação dinâmica, uma relação construtiva, e os assuntos internos do país não dizem respeito à CPLP”, realçou o secretário executivo.

Assim, “respeitamos, fomos convidados, aceitamos e penso que todos os Estados-membros foram consultados, quanto a esta visita e, por isso, todos enviaram os seus representantes permanentes, à exceção de Portugal, que mandou o seu número 'dois', e também Cabo Verde, que não poderá estar por razões de força maior".

O secretário executivo e os representantes permanentes de oito dos nove Estados-membros da CPLP iniciaram no sábado uma visita de trabalho à Geórgia, que se prolonga até terça-feira, durante a qual terão encontros de alto nível.

2024-05-27
14:50

Rússia e Bielorrússia vão realizar exercícios militares

A Rússia e a Bielorrússia vão realizar exercícios conjuntos da força aérea, avançou o ministério da Defesa da Bielorrússia, escreve a Reuters.

Os exercícios conjuntos da Força Aérea vão decorrer entre 27 a 31 de maio.

2024-05-27
14:25

Dois mortos em ataque russo na região de Mykolaiv, no sul da Ucrânia

Dois civis foram mortos e cinco feridos, esta segunda-feira, num ataque russo ao sul da Ucrânia, na região de Mykolaiv, avança o serviço de emergência ucraniano.
 
"À tarde, como resultado de um ataque com mísseis contra Snihurivka, ocorreu um incêndio numa cafeteria, numa carrinha de rua e numa oficina de pneus. Tal como, uma onda de choque, após a explosão, danificou um auto-atendimento de lavagem de carros", disse o serviço através do Telegram.
 
“Foram encontrados os corpos de duas pessoas durante a remoção dos escombros", acrescentou.

2024-05-27
14:19

Assembleia Parlamentar da NATO autoriza Ucrânia a atacar Rússia com armas aliadas

A Assembleia Parlamentar da NATO, uma instituição independente da Aliança Atlântica, aprovou esta segunda-feira uma declaração de apoio à capacidade da Ucrânia de atacar alvos militares na Rússia também com armas fornecidas por países aliados.

Paralelamente, a mesma assembleia parlamentar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) aceitou hoje o Kosovo como membro associado, depois de 10 anos com o estatuto de observador (2014), indicou a rádio pública búlgara a partir de Sófia, onde a assembleia encerra hoje os trabalhos, que decorreram durante o fim de semana.

Em relação à declaração de apoio ao uso pela Ucrânia de armamento fornecido pelos aliados, o texto foi aprovado por 47 dos 56 países ou instituições que compõem o organismo, que funciona como elo de ligação entre a NATO e os parlamentos dos países membros da Aliança Atlântica.

Além dos 32 países da NATO, têm assento na instituição delegados de parlamentos parceiros ou observadores de outras nações ou organizações, como a Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa ou a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE).

Vários países da NATO que enviaram armas à Ucrânia para ajudar o país a defender-se da invasão russa, iniciada a 24 de fevereiro de 2022, impuseram como condição que o equipamento não fosse utilizado para atacar posições militares em solo russo.

Hoje, o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, afirmou ter chegado o momento para levantar esta restrição e argumentou que atacar alvos militares em solo russo, a partir dos quais a Ucrânia está a ser bombardeada, é uma forma de legítima autodefesa.

Caso contrário, segundo o responsável, a Ucrânia fica de “mãos atadas” para repelir a agressão russa.

“Os aliados devem decidir sobre as restrições à utilização de armas em alvos militares legítimos do outro lado da fronteira, esta não é uma questão da NATO. Mesmo agora, alguns membros têm restrições e outros não", sublinhou Stoltenberg durante uma conferência de imprensa com o primeiro-ministro búlgaro, Dimitar Glavchev.

“A Rússia violou a soberania de outro país. É uma violação do direito internacional, do qual todos somos signatários. A Ucrânia tem o direito de se defender. Nós, enquanto aliados, temos o direito de ajudar a Ucrânia a defender-se. No entanto, isto não significa que a NATO seja parte no conflito", afirmou Stoltenberg.

O secretário-geral da Aliança Atlântica insistiu que a NATO não tem planos para enviar tropas para a Ucrânia, para colocar capacidades no espaço aéreo ucraniano ou para treinar tropas em solo ucraniano.

Além disso, afirmou ainda o representante, o principal objetivo da NATO é garantir que o conflito não se estenda para fora da Ucrânia ou se transforme num confronto entre a Aliança Atlântica e a Rússia.

Sobre a adesão do Kosovo como membro associado da Assembleia Parlamentar da NATO, a Presidente kosovar, Vjosa Osmani, mostrou-se “orgulhosa” perante tal passo.

“A NATO é o destino do Kosovo e esta medida irá garantir que se escute a voz do povo mais pró-NATO do planeta”, escreveu Osmani na rede social X.

Driton Hyseni, chefe da delegação kosovar na Assembleia Parlamentar da NATO, afirmou que este reconhecimento surge após vários anos de excelente cooperação com o parlamento do Kosovo.

Depois de a Rússia ter lançado a sua agressão contra a Ucrânia, em fevereiro de 2022, as autoridades do Kosovo, país que se separou unilateralmente da Sérvia em 2008, pediram rapidamente para aderir à NATO.

No domingo, a presidente do parlamento da Sérvia, Ana Brnabic, instou os membros da Assembleia Parlamentar da NATO a não concederem o estatuto de parceiro ao Kosovo, argumentando que isso representaria um prémio para as autoridades de Pristina nas suas tentativas de obstruir o diálogo mediado pela União Europeia (UE).

A Sérvia não reconhece a independência do Kosovo e considera que este não pode ser admitido nas instâncias internacionais.

2024-05-27
14:07

Zelensky visita Portugal na terça-feira

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, vai visitar Portugal na terça-feira, e terá encontros com o chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, e o primeiro-ministro, Luís Montenegro, anunciou esta segunda-feira a Presidência da República Portuguesa.

"A convite do Presidente da República e do primeiro-ministro, o Presidente da Ucrânia Volodymyr Zelensky deslocar-se-á a Portugal amanhã [terça-feira], 28 de maio", lê-se numa nota publicada no sítio oficial da Presidência da República na Internet.