Presidente ucraniano agradece "forte apoio" de Joe Biden perante ameaça russa

Agência Lusa , PF
9 dez 2021, 22:38
Volodymyr Zelensky (AP)
Volodymyr Zelensky (AP)

Os dois líderes falaram esta quinta-feira, tendo discutido "formas possíveis para a resolução do conflito em Donbass"

PUB

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, agradeceu esta quinta-feira ao seu homólogo norte-americano o “forte apoio” prestado perante ameaças da Rússia, enquanto Joe Biden prometeu responder com “medidas fortes” a uma possível invasão ou ataque russo.

Os dois chefes de Estado falaram esta quinta-feira ao telefone durante uma hora e meia, dois dias depois da cimeira virtual em que Joe Biden ameaçou Vladimir Putin com sanções “como nunca viu antes”, em caso de Moscovo invadir a Ucrânia.

PUB

Segundo a presidência ucraniana, durante a conversa, Biden e Zelensky “discutiram formas possíveis para a resolução do conflito em Donbass”, uma região do leste da Ucrânia que tem sido palco de confrontos sangrentos desde 2014, adiantou o Presidente ucraniano.

Volodymyr Zelensky elogiou Joe Biden pelo seu “apoio constante, firme e forte à soberania e integridade territorial” do seu país e “reafirmou o seu compromisso inabalável em encontrar maneiras de [alcançar] a paz”, adiantou em comunicado a presidência ucraniana.

PUB
PUB
PUB

Em Washington, a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, revelou que Biden garantiu esta quinta-feira a Zelensky o compromisso dos Estados Unidos em responder com “medidas fortes” a uma possível invasão ou ataque da Rússia.

O chefe de Estado norte-americano atualizou o homólogo ucraniano sobre a cimeira virtual com Putin, comunicando a Zelensky que alertou Putin de que “nenhuma nação pode forçar outra a mudar as suas fronteiras, nenhuma nação pode dizer a outra para mudar a sua política e que as nações não podem dizer aos outros com quem podem trabalhar”.

A mesma fonte revelou que o Presidente dos Estados Unidos pretende ainda falar esta quinta-feira por telefone com o chamado ‘grupo dos nove de Bucareste’, formado por aliados de Washington no leste europeu - Bulgária, República Checa, Hungria, Lituânia, Estónia, Letónia, Polónia, Roménia e Eslováquia.

A porta-voz da Casa Branca revelou que o objetivo de Biden é explicar aos responsáveis daqueles países o conteúdo da sua conversa com Putin e “ouvir as perspetivas destes sobre a atual situação de segurança”, além de reafirmar o compromisso dos norte-americanos com a NATO.

PUB
PUB
PUB

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados