A realidade sexy por trás do hotel de "White Lotus" na Sicília

CNN , Silvia Marchetti
7 jan, 21:00

Com luxuosas moradias barrocas, jardins exóticos, paisagens dramáticas, arte antiga e um ambiente sedutor, a Sicília parece ser o local perfeito para a segunda temporada da série de comédia de humor negro "The White Lotus".

A premiada série retrata as aventuras emaranhadas, eróticas e por vezes perigosas de veraneantes super-ricos hospedados no belo San Domenico Palace, um resort de cinco estrelas no cimo de um penhasco gerido pela cadeia Four Seasons na cidade de Taormina.

Tendo sido um antigo mosteiro do século XIV com vistas únicas para o vulcão Etna e para a linha de costa, o hotel é tanto uma das estrelas da série quanto o seu elenco de estrelas de Hollywood e italianas. E, diz o seu gerente na vida real, Lorenzo Maraviglia, equipara-se ao seu homólogo fictício.

"O ambiente real do resort é muito semelhante ao que se vê e sente na série", diz à CNN Travel. "É vibrante, tem que ver com a Sicília, romântica e sexy, com os nossos incríveis convidados, que este ano incluíram Madonna e Sharon Stone."

Feita para a HBO (que, tal como a CNN, faz parte da Warner Bros. Discovery), a série é filmada em torno de Taormina, Noto, Cefalù e Palermo, mas o Palácio de San Domenico está no centro das intrigas e ligações vaporosas que se desenvolvem ao longo da temporada de sete episódios.

E apesar de os hóspedes que procuram uma fuga no White Lotus poderem não ter as  mesmas experiências picantes, Maraviglia insiste que o seu hotel irá pelo menos providenciar o nível de serviço apreciado pelas personagens da série.

"O sucesso da série baseia-se na realidade do que ocorre num hotel de luxo; as interações entre o pessoal e os clientes, e entre os clientes, são muito reais",  diz.

Mas as "situações extremas como as duas acompanhantes de luxo locais que vêm e vão entreter os convidados fazem parte da dramaturgia e da teatralidade que acrescentam um toque picante", acrescenta, insistindo que as coisas geralmente acontecem a um ritmo mais calmo - tanto quanto ele sabe.

"Podemos notar se há movimentos estranhos se uma situação se tornar óbvia, mas Taormina e o nosso resort são locais onde essas coisas normalmente não acontecem. É para famílias e casais em lua-de-mel. Mesmo que alguém possa ter uma aventura de fim de semana, não nos apercebemos".

Os visitantes do Palácio de San Domenico vão encontrá-lo exatamente como retratado em "The White Lotus". As portas de ligação entre suites existem realmente. Há jardins exuberantes para bebidas ao pôr-do-sol, belos claustros, uma piscina panorâmica e um terraço com vista para a baía onde os hóspedes tomam o pequeno-almoço e um restaurante estrelado pela Michelin onde as personagens da série muitas vezes discutem.

Não que a Sicília seja alheia a animação. A ilha tem uma antiga herança grega de liberdades sexuais - um passado refletido na série, com estátuas pagãs e frescos religiosos que testemunham silenciosamente as atividades extravagantes os hóspedes ricos.

Santos e prostitutas

A segunda temporada de “The White Lotus" é filmada no hotel San Domenico Palace, na Sicília. (Foto: Fabio Lovino/HBO)

Taormina é vista em todo o seu glamour: o imponente teatro grego antigo, a piazzetta panorâmica, as habitações cor pastel, elegantes becos com cafés e boutiques brilhantes, os restaurantes chiques como o Baronessa, onde é filmada uma cena de jantar de um casal a discutir.

As melhores suites do hotel, onde a maioria das cenas de sexo da série ocorrem, têm piscinas e pinturas de santos feitas pelos monges que outrora lá viviam. "A decoração, os quartos, é tudo original, o que se vê é real, até as fardas do pessoal", diz Maraviglia.

Embora Maraviglia não tenha tido de satisfazer alguns dos pedidos mais estranhos de hóspedes que aparecem na "The White Lotus", diz que teve de lidar com pedidos extravagantes de hóspedes desde que o San Domenico abriu no ano passado como parte da cadeia Four Seasons.

"Alguns hóspedes queriam visitar as Ilhas Eólias com um helicóptero privado e alugar um iate para Siracusa, que fica a apenas uma hora de carro", diz.

Fisicamente, há apenas dois desvios reais da realidade. O resort, empoleirado a 400 metros no alto do planalto rochoso de Taormina, não tem acesso ao mar. O deck privado de um restaurante de peixe das proximidades, La Cambusa, em Giardini Naxos, foi usado para filmar cenas de chegada ao mar.

E como o hotel não tem costa privativa, o resort Unahotels Capotaormina é onde os hóspedes podem desfrutar de espreguiçadeiras e guarda-chuvas num clube de praia esculpido em um penhasco avermelhado ladeado por arcos rochosos e pilhas de mar, com vista para a pequena ilha de Isola Bella.

O ilhéu, que também apresenta "The White Lotus", está ligado à costa por uma estreita faixa de areia e é um dos mais belos e populares locais de snorkeling da Sicília, graças às águas calmas em tom verde-esmeralda. Está integrado num parque arqueológico e tem uma casa rodeada de plantas exóticas que albergam um museu botânico.

A maioria dos banhos e cenas subaquáticas foram filmados na praia pública da pitoresca vila de pescadores de Cefalù, entre Taormina e Palermo.

A baía de Taormina testemunhou uma intriga na vida real em 1955, quando uma herdeira polaca foi alegadamente afogada pelo marido em circunstâncias misteriosas que se dizia estarem ligadas a uma herança.

As discussões entre casais em "The White Lotus" também fazem parte da vida real. Em 1967, uma Elizabeth Taylor furiosa esmagou, aparentemente, um bandolim sobre a cabeça de Richard Burton no terraço da sua suite.

Vasos de plantas e falos

Passado austero: o hotel, construído num antigo mosteiro do século XIV, é um resort de cinco estrelas gerido pela marca de luxo Four Seasons. (Foto: Palácio de San Domenico, Four Seasons)

Há muita tradição siciliana em "The White Lotus", com referências às ligações da máfia da ilha.

Uma escultura em cerâmica da cabeça de um mouro barbudo é frequentemente mostrada na série como símbolo de traição, uma referência a uma lenda local que remonta aos tempos medievais. Diz-se que a mulher de um dos ocupantes árabes da Sicília lhe cortou a cabeça e usou-a como vaso de plantas.

"Esta história personifica a essência siciliana do amor, da paixão e da vingança que estão todos representados em ‘The White Lotus’ ", diz Sónia Bonamassa, coordenadora de relações públicas de San Domenico. "Ela decapita o mouro porque o ama, mas ele traiu-a."

Estas cabeças de cerâmica "testa di moro" são hoje usadas por sicilianos como vasos,  suportes de candeeiros, tigelas de citrinos e vasos de flores ou apenas para decorar quartos.

Os mori são emblemáticos da herança árabe da Sicília. Outras lembranças locais incluem cerâmica colorida em forma de pinhas que os sicilianos acreditam que dá sorte.

 "O realizador Mike White era extremamente recetivo a estas coisas locais, brincávamos  com elas e ele incluía muitas das nossas sugestões na série, como canções italianas,  adaptando a sua abordagem à realidade", diz Maraviglia.

Uma dica que não chegou a ser usada, provavelmente porque era demasiado extrema mesmo para uma série tão eroticamente carregada, era um poço de rega local que os atores apelidavam de "o bar dos pénis”.

Bar Turrisi, na pitoresca vila medieval de Castelmola perto de Taormina, está cheio de  objetos em forma de falo. "Garrafas, relógios, copos, tudo", diz Maraviglia. Até as escadas e os azulejos têm pénis.

A empregada Giorgia Ponturo diz que os (reais) funcionários do hotel e equipa técnica aparecem regularmente depois de um dia difícil de filmagens e espera que a série atraia  turistas para lugares mais calmos e menos conhecidos ao redor Taormina, como Castelmola.

"Este bar remonta a 1947, foi um bordel e um hotspot gay", diz Ponturo. "Então o proprietário decidiu adotar o motivo fálico, que era um símbolo grego antigo de potência sexual e fertilidade, para reafirmar a virilidade dos homens sicilianos. Também traz sorte."

Festas loucas e mansões luxuosas

O gerente do hotel diz que os hóspedes da vida real podem esperar o mesmo nível de luxo visto na série. (Foto: Palácio de San Domenico, Four Seasons)

Algumas cenas foram filmadas num palácio renascentista chamado Villa Tasca, que na verdade está localizado na cidade de Monreale, perto de Palermo. Situado dentro de um parque exuberante, tem sumptuosos frescos e estátuas, quartos king-size e uma exótica piscina/lagoa com água de nascente fresca. Alugado para casamentos e eventos privados, diz-se que o compositor alemão Richard Wagner ficou aqui enquanto criava uma das suas obras-primas.

Outra mansão extravagante em destaque em "The White Lotus”, uma cena de uma orgia, é a Villa Elena, que fica entre olivais perto de Noto. Está decorada com tapeçarias antigas e peças de mármore e tem uma enorme piscina a sair de um templo.

"The White Lotus " homenageia os filmes da máfia "O Padrinho", com a localização de uma cena clássica - Castello degli Schiavi em Fiumefreddo, um elegante castelo  com um claustro. É uma propriedade privada aberta a visitas guiadas e reservas de eventos.

O melhor da comida siciliana também é retratada na série. Os hóspedes engolem cannoli recheados de ricota, bolos de cassata, "gelato" e bolas de arroz "arancini". As personagens bebem regularmente rosé local e Martini. Dois casais passam um dia de degustação de vinhos na cantina Planet, nos flancos do Monte Etna, onde o solo preto fértil do vulcão produz garrafas de topo, como Eruzione (" erupção.")

Desde a década de 1800, Taormina tem sido um hotspot internacional VIP conhecido pelas suas festas loucas e liberdade sexual que remonta aos tempos pagãos gregos, quando a homossexualidade era a norma. O dramaturgo anglo-irlandês Oscar Wilde era visita frequente.

Diz-se que Taormina pode ter sido o berço do romance de D.H. Lawrence, "O amante de Lady Chatterley". O autor e a sua mulher foram convidados no Palácio de San Domenico no início da década de 1920 e o livro foi aparentemente inspirado num caso entre a Sra. Lawrence e um cavaleiro de burros local.

Holofotes globais

Ao contrário do que acontece na série, os hóspedes não podem chegar ao hotel de barco. (Foto: Fabio Lovino/HBO)

Os habitantes locais esperam que a promoção global de Taormina em "The White Lotus" atraia ainda mais turistas para a Sicília e impulsione a sua atração como palco de Hollywood.

Giacomo Chillé, da agência de viagens Discover Messina, planeia organizar visitas guiadas aos locais da série. "Há um enorme potencial no cine-turismo (turismo ligado ao cinema), já levamos americanos aos locais de 'O Padrinho' com viagens à medida",  disse.

Nem todos estão felizes. Enzo Anastasi, proprietário do Hotel La Canna, na ilha Filicudi, pouco badalada, no  arquipélago das Eólias, teme que a "Sicília possa passar a ser a Disneylândia dos ricos."

"Estas séries americanas promovem e retratam as habituais pessoas super-ricas e os seus lugares glamorosos, que não são a verdadeira e autêntica alma da Sicília, onde tradições e simples estilos de vida sobrevivem", diz.

Giuseppe Quattrocchi, proprietário do restaurante Le Bistrot du Monde, acha que a série será  uma dádiva de Deus para o turismo de Taormina, mas diz que não gostou de como a Sicília foi retratada nalgumas ocasiões.

"Quando três convidados vão à procura dos seus antepassados numa aldeia remota e são expulsos pelos seus supostos parentes, isso é o oposto da nossa hospitalidade de raça", diz ele. "Além disso, as acompanhantes e a referência às organizações criminosas locais transmitem uma imagem negativa."

Viagens

Mais Viagens

Na SELFIE

Mais Lidas

Patrocinados