Efapel: «Abastecimento irregular foi um ato irrefletido individual»

8 ago 2021, 16:19
Volta a Portugal

Diretor desportivo da equipa responsabiliza Mauricio Moreira pela penalização de 40 segundos por ter bebido água do público: «Os atletas estão mais do que avisados»

O diretor desportivo da Efapel responsabilizou Mauricio Moreira pela penalização de 40 segundos por abastecimento irregular na terceira etapa da Volta a Portugal, defendendo que a equipa «jamais» pode ser penalizada «por um ato irrefletido» do ciclista.

«O Mauricio apanha duas vezes água do público dentro dos últimos 10 quilómetros. Não tem a ver com nenhum elemento ou staff da equipa», disse à agência Lusa Ruben Pereira.

O ciclista uruguaio foi penalizado no sábado em 40 segundos pelo colégio de comissários da 82.ª Volta a Portugal, por ter cometido duas infrações referentes a abastecimento irregular na terceira etapa.

Moreira, que foi segundo na etapa a 01.03 minutos do vencedor no alto da Torre, o espanhol Alejandro Marque (Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel), era segundo na geral a 51 segundos do galego, mas caiu para sétimo depois de o colégio de comissários o penalizar em 20 segundos por cada uma das infrações que cometeu.

Considerando que «a penalização foi muito pesada», Ruben Pereira defendeu que o erro do uruguaio não resulta de uma falta de comunicação dentro da equipa, «porque os atletas estão mais do que avisados».

«Aqui trata-se de uma questão em que o atleta queria água, e recorreu ao público, inconscientemente, sem ter a noção disso. Mas jamais podemos penalizar a equipa por uma coisa de que não tem culpa. Foi um ato irrefletido individual do atleta. Nós somos uma equipa, como é óbvio não vou crucificar o Mauricio pela penalização, porque o rapaz fez aquilo inconscientemente», afirmou.

O diretor desportivo da Efapel não vê a descida de Moreira na classificação geral como «um duro revés», porque o corredor «não está aqui para discutir a Volta a Portugal».

«Não é o nosso líder, não é a nossa aposta. Por isso, não é o facto de o Mauricio apanhar 40 segundos que vai interferir na tática da Efapel», garantiu.

Ainda assim, o ciclista de 26 anos é o mais bem classificado da formação amarela na 82.ª Volta a Portugal, uma vez que os seus companheiros António Carvalho e Frederico Figueiredo são, respetivamente, nono e 10.º na geral.

Já no ano passado, Carvalho e Joni Brandão, agora ciclista da W52-FC Porto, tinham sido penalizados em 20 segundos por abastecimento irregular na etapa da Torre.

Relacionados

Patrocinados