Duas mortes no Gana devido a infeção pelo vírus de Marburg

18 jul, 17:59
Vírus de Marburg (Getty Images)

Ainda não existe tratamento para esta doença, que pode ser mortal

O Gana confirmou duas mortes por infeção pelo vírus de Marburg, da mesma família que o Ébola, que é altamente infecioso e pode ser mortal. 

De forma a tentar ser evitado um surto, 98 pessoas encontram-se em quarentena como casos suspeitos de contacto.

A infeção por este vírus provoca uma febre hemorrágica, sendo que não existe tratamento. Assim, para maior probabilidade de sobrevivência, os médicos têm aconselhado o consumo de muita água e o tratamento dos sintomas específicos.

Francis Kasolo, representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Gana, afirmou: “As autoridades de saúde estão no terreno a investigar a situação e a preparar-se para uma possível resposta ao surto. Estamos a trabalhar em estreita colaboração com o país para aumentar a deteção, rastrear contactos e estar prontos para controlar a propagação do vírus”.

Como forma de prevenção da infeção, as autoridades do Gana estão a aconselhar a população a manter-se longe de grutas e a cozinhar todos os produtos de carne antes de os consumirem.

O que é este vírus? Como se transmite? Quais os sintomas?

Sabe-se que são os morcegos-da-fruta, da espécie Rousettus aegyptiacus, os responsáveis pela transmissão do vírus aos humanos. Por sua vez, entre humanos, a doença transmite-se através de fluídos corporais, superfícies e materiais infetados.

De acordo com a OMS, o vírus de Marburg é uma febre hemorrágica viral com um período de incubação de 2 a 21 dias. É altamente infecciosa e os sintomas podem incluir dor de cabeça intensa, febre alta, dor muscular, diarreia, náuseas, vómitos com sangue e hemorragias, muitas delas graves.

Os dados relativos à mortalidade, baseados em surtos anteriores, dizem que esta varia entre os 24 e os 88 por cento, dependendo da estirpe do vírus e da forma como os casos são geridos.

Este não é o primeiro surto

O primeiro surto documentado deste vírus foi em 1967, em Marburg, na Alemanha, onde morreram sete pessoas. 

Seguiram-se vários surtos em países africanos desde então, nomeadamente na República Democrática do Congo, Quénia, África do Sul e Uganda. 

Entre 2004 e  2005, Angola sofreu um dos maiores surtos, que infetou 252 pessoas. Dos infetados, 90% não resistiram à doença.

Relacionados

África

Mais África

Patrocinados