Companhia aérea acaba com farda "masculina" e "feminina": pilotos e tripulação podem escolher a que quiserem

CNN , Toyin Owoseje
1 out, 13:00
Virgin Atlantic lança nova política de fardamento com neutralidade de género. Créditos: Virgin Atlantic

A Virgin Atlantic disse que vai descartar as opções de fardamento por género num esforço para promover a individualidade dos seus funcionários.

A companhia aérea britânica anunciou esta semana, em comunicado, que os tripulantes de cabina, os pilotos e o pessoal de terra podem escolher a farda com que se sentem mais à vontade “seja qual for o seu género, identidade de género ou expressão de género”. Serão também disponibilizados crachás opcionais de género para a equipa e passageiros.

As fardas vermelhas e castanhas do pessoal, criadas pela estilista britânica Vivienne Westwood, deixarão de ser categorizadas como “masculina” ou “feminina”, indicou um porta-voz da Virgin Atlantic à CNN.

Juha Jarvinen, diretor comercial da Virgin Atlantic, disse que a empresa acredita que é importante incentivar as pessoas a “aceitarem a sua individualidade e serem autênticas no trabalho".

Jarvinen acrescentou ainda: "É por essa razão que queremos permitir que o nosso pessoal use a farda que melhor se adequa a cada um e à maneira como se identificam e garantir que os nossos clientes são tratados pelo pronome que preferem."

A companhia aérea vai disponibilizar crachás opcionais com o pronome para a equipa. Créditos: Virgin Atlantic

Michelle Visage, a jurada de "RuPaul's Drag Race All Stars" que apresentou a farda juntamente com a equipa, elogiou a mudança.

"Enquanto mãe de uma criança não-binária e aliada da comunidade LGBTQ+, estes esforços da Virgin Atlantic para avançar com a inclusividade do seu pessoal são extremamente importantes e pessoais para mim", disse ela no comunicado de imprensa. "As pessoas sentem-se capacitadas quando vestem o que melhor as representa, e esta política de identidade de género permite às pessoas reconhecerem quem são e levarem tudo de si para o trabalho."

A Virgin Atlantic disse que estas alterações fazem parte de um leque mais alargado de iniciativas integradas na agenda "Sê Tu Mesmo".

A transportadora de longo curso também mudou o seu sistema de bilhetes. Os passageiros que tenham passaportes com marcadores de neutralidade de género podem escolher os códigos de género "U" ou "X" nas suas reservas e também o título “Mx” com neutralidade de género.

Em junho, a Virgin Atlantic atualizou a sua política de tatuagens para permitir que os funcionários mostrem as tatuagens quando estão fardados.

Estelle Hollingsworth, diretora de recursos humanos da Virgin Atlantic, disse numa declaração na altura que a mudança refletia a importância da autoexpressão.

Nos últimos anos, foram apresentadas outras reformas como o fim da obrigatoriedade de usar maquilhagem para a tripulação de cabina da Virgin Atlantic e também a opção para as funcionárias usarem calças e sapatos rasos.

Relacionados

Moda

Mais Moda

Na SELFIE

Patrocinados