Saiba tudo sobre o Euro aqui

Agrediu a mulher grávida, agrediu a mulher com um filho ao colo. Agora foi preso porque os filhos de 2 e 3 anos apareceram com "hematomas na cabeça"

Agência Lusa , AG
3 jun, 17:30

Suspeito já tinha um historial de violência, tendo mesmo agredido a mulher enquanto esta estava grávida de 10 semanas

Um homem foi detido na madrugada de sexta-feira, em Lisboa, por ser suspeito de violência doméstica contra os filhos de 2 e 3 anos, tendo ficado proibido de permanecer na habitação das vítimas, anunciou esta segunda-feira a PSP.

De acordo com o Comando Metropolitano de Lisboa da Polícia de Segurança Pública (PSP), o homem, de 40 anos, foi detido depois de a polícia ter sido informada pela “mãe dos menores que, quando se encontrava no seu local de trabalho, foi alertada pela cunhada que os seus filhos, de 2 e 3 anos, haviam sido agredidos pelo progenitor”.

Quando a PSP chegou à residência de família verificou que o suspeito já não se encontrava no local e que as duas crianças apresentavam “diversos hematomas na face e cabeça”.

A PSP acionou “de imediato” os meios de emergência, nomeadamente uma ambulância dos bombeiros, para prestar os primeiros socorros às crianças e para os transportar para o Hospital de Dona Estefânia, em Lisboa.

Segundo a polícia, depois de várias diligências, o suspeito foi encontrado “no seu local de trabalho”.

Atitude hostil

Na presença da PSP, o homem “demonstrou sempre uma atitude hostil para com os polícias, dificultando a intervenção dos mesmos”.

De acordo com a PSP, existem “diversas ocorrências de violência doméstica, com alguma gravidade”, atribuídas ao suspeito, nomeadamente agressões à sua companheira quando se encontrava grávida de 10 semanas do primeiro filho e agressões na presença dos menores, com um dos filhos ao colo.

Presente a tribunal para aplicação de medidas de coação com o propósito da proteção das vítimas, o homem ficou sujeito a termo de identidade e residência e proibição de permanecer na habitação das vítimas, adiantou a polícia.

Durante os primeiros cinco meses deste ano, o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através da Divisão de Investigação Criminal, realizou 24 detenções pelo crime de violência doméstica, designadamente 20 homens e quatro mulheres.

Presentes a 1.º interrogatório judicial, foi aplicado a sete dos suspeitos a medida de coação mais gravosa, prisão preventiva, e a nove proibição de contactar e de se aproximarem das vítimas.

Em comunicado, a PSP informou que “estas detenções (24), na sua maioria, surgem como resultado da emissão de mandados de detenção”, inclusive 17 emitidos pela autoridade judiciária e cinco emitidos por autoridade de polícia criminal, tendo-se registado ainda duas detenções em flagrante delito.

No âmbito deste balanço, a polícia realçou que a “excelente coordenação e colaboração” entre as várias valências de investigação criminal da PSP e a 2.ª Secção Regional do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, “que permite que o processo investigatório de recolha de prova seja eficiente, facilitando desta forma a emissão de mandados de detenção fora do flagrante delito”.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados