Rapaz de 12 anos em “estado crítico” após alegada violação em grupo em Nova Deli

CNN , Hannah Ritchie
26 set, 12:49
Índia

Agressão foi perpetuada por outros três menores, um deles familiar da vítima

Um rapaz de 12 anos está em “estado crítico” após ter alegadamente sido violado por um grupo e espancado em Nova Deli, capital da Índia, segundo uma declaração da polícia municipal e uma queixa feita pela família do rapaz à Comissão Pelas Mulheres de Deli (DCW).

O Comissário Adjunto da Polícia de Deli, Sanjay Sain, disse numa declaração em vídeo que a alegada agressão tinha sido levada a cabo por três indivíduos – todos eles menores conhecidos da vítima – incluindo um familiar.

Segundo a polícia e a declaração da DCW, a alegada agressão terá ocorrido a 18 de setembro, no bairro de Seelampur, na zona nordeste da cidade.

A DCW é uma autoridade oficial nomeada para investigar assuntos relativos à segurança das mulheres ao abrigo da lei de Deli.

O caso está sob investigação e dois dos suspeitos já foram detidos, disse Sain na declaração em vídeo. “Os três acusados são da mesma comunidade, eles eram vizinhos”, adiantou Sain, acrescentando ainda que um dos homens era familiar da vítima.

Ainda não houve qualquer pessoa acusada

De acordo com uma declaração da DCW no domingo, os pais do rapaz disseram que o filho estava em “estado crítico” após alegadamente ter sido agredido com uma vara e “brutalmente” espancado com tijolos.

“O rapaz não está em bom estado e pode não resistir”, disse à CNN pelo telefone a representante da DCW, Swati Maliwal, quando perguntámos pelo estado do rapaz.

Nos últimos anos, têm sido frequentes as manifestações na Índia contra a incidência das agressões sexuais, habitualmente contra mulheres e raparigas.

Em 2012, a violação em grupo e homicídio em Deli de uma aluna de Medicina, Nirbhaya – um pseudónimo dado à vítima que significa “destemida” – galvanizou milhões de mulheres que pediram penas mais pesadas para os criminosos.

Nirbhaya sofreu ferimentos tremendos após ter sido violada e agredida com varas de ferro, segundo os documentos do tribunal. Ela morreu duas semanas após a agressão, num hospital em Singapura.

A morte de Nirbhaya pôs em foco as agressões sexuais na Índia e marcou um ponto de viragem no país, com a introdução de novas leis, incluindo o processamento rápido dos casos de violação no sistema judicial e a alteração da definição de violação para incluir penetração anal e oral.

Relacionados

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados