Orbán diz que multa de tribunal europeu é escandalosa e inaceitável

Agência Lusa , AM
13 jun, 11:21
Viktor Órban (AP)

Primeiro-ministro húngaro diz que “parece que os migrantes ilegais são mais importantes para os burocratas de Bruxelas do que os seus próprios cidadãos europeus”

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, considerou “escandalosa e inaceitável” a multa de 200 milhões de euros e sanção de um milhão por dia imposta pelo Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) por incumprimento da política de asilo.

“A decisão do TJUE de multar em 200 milhões de euros mais um milhão de euros por dia a Hungria por defender as fronteiras da União Europeia é escandalosa e inaceitável”, escreveu Orbán, na sua conta na rede social X.

Para o líder conservador húngaro, “parece que os migrantes ilegais são mais importantes para os burocratas de Bruxelas do que os seus próprios cidadãos europeus”.

O TJUE condenou hoje a Hungria a pagar uma multa de 200 milhões de euros e uma sanção de um milhão de euros por cada dia de atraso por incumprimento da política de asilo, considerando que Budapeste “contornou deliberadamente a aplicação de uma política comum” da UE – no caso, de acolhimento de requerentes de proteção internacional – o que, segundo um comunicado, “constitui uma violação inédita e excecionalmente grave do direito da União”.

O Governo húngaro adotou, em 2015, uma política dura face à crise migratória originada pela guerra na Síria e que mantém desde então.

Europa

Mais Europa

Patrocinados