Valas comuns encontradas em Izium: "É uma situação semelhante a Bucha, mas aqui tiveram tempo para enterrar os corpos", diz diretor da Amnistia Internacional

20 set, 17:29

O diretor da Amnistia Internacional em Portugal, Pedro Neto analisou a declaração do governo ucraniano de ter sido encontrada uma vala comum com militares e civis na cidade de Izium. Segundo refere “é fácil inferir-se responsabilidades”, frisando que as pessoas foram mortas há pouco tempo, apenas carecem de provas.  

Pedro Neto resgata as declarações do porta-voz do Kremlin que afirmou na segunda-feira, “ser tudo mentira, tal como aconteceu em Bucha” e notou “que esta situação é muito semelhante a Bucha, mas que aqui existiu tempo para enterrar os corpos”.  

O diretor da Amnistia acrescenta que a organização já tinha denunciado casos em Izium e que agora importa que exista, rapidamente, uma investigação independente do caso no terreno, por entidades internacionais e que a justiça seja feita. “Caso seja criado um tribunal especial para esta guerra, isso tem de ser implementado o quanto antes”, frisa, afirmando que no banco dos réus podem estar tanto militares como pessoas de nível superior, como Vladimir Putin do lado russo.  

Europa

Mais Europa

Patrocinados