Todos os ciclistas da W52-FC Porto foram constituídos arguidos

26 abr, 22:19

O Tribunal de Instrução Criminal do Porto deixou cair o crime de associação criminosa relativamente às suspeitas que recaem sobre diretor desportivo da W52-FC Porto, Nuno Ribeiro, e sobre o seu adjunto José Rodrigues, o que, para o advogado de defesa, significa que a juíza estará a considerar que "não há conluio e intenção de desvirtuar a verdade desportiva", podendo existir apenas "a eventual prática do crime de tráfico de substâncias proibidas e não de administração" das mesmas.

Além dos diretores, todos os ciclistas foram constituídos arguidos e tiveram de realizar testes antidoping.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados