Tem depósitos a prazo? “Não vai sentir ainda” os efeitos da subida dos juros

Jornalista de economia da TVI e TVI24.pt desde outubro de 2013.

Foi Editora da Agência Financeira e comentadora da TVI e TVI24 entre 2006 e 2013, onde alimentava a secção de economia da tvi24.pt e Push by IOL.

Licenciou-se em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa.

Realizou estágio na Agência Financeira em 2001, passando a integrar a redação como jornalista no final desse ano. Escreveu sobre empresas, mercados, macroeconomia, impostos e finanças pessoais.

Ao longo dos anos colaborou com várias rádios (Rádio Capital, Rádio Mais, Antena 1, Rádio Clube Português e Rádio Renascença) para comentários de mercados, finanças pessoais e temas económicos.

Colaborou também com os jornais «O Independente» e «Metro», tendo integrado a equipa que fundou o jornal online «Diário Financeiro», que chegou a editar.
24 jul, 20:52

Com a inflação a empurrar as taxas de juro, há também quem fique a ganhar com o aumento dos juros: quem tem poupanças para investir, uma vez que há muitas aplicações financeiras com retorno indexado a este indicador. Para quem tenha depósitos a prazo, “não vai sentir os efeitos” ainda, explica Pedro Lino, presidente da Optimize. Já um aforrador ou depositante “poderá esperar no máximo, a partir do próximo ano” cerca de 1% sobre as suas aplicações. Um dos investimentos que poderá implicar maior retorno – mas também maior risco - é na emissão de dívida de empresas.

Economia

Mais Economia

Patrocinados